sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Mais esta do partido quadrilha!! #AcordaBrasil


PT decidiu debochar da Justiça como um todo e do Supremo Tribunal Federal em particular. Ao criar um site para doações de pessoas que permanecerão anônimas, tenta fazer de conta que a sociedade está contra o tribunal. O petista Marco Aurélio Garcia, que é assessor especial de Dilma para assuntos internacionais, não escondeu a intenção: “Isso é uma resposta ao ministro Joaquim Barbosa. Ele, com seus exageros, acabou mobilizando ainda mais a militância”.

Os mensaleiros também trocam a grana entre si. Da campanha de Genoino, sobraram R$ 30 mil reais, que ele decidiu doar a Delúbio. Da de Delúbio, sobrarão mais de R$ 500 mil, que vão para José Dirceu e João Paulo Cunha…

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

XENOFOBIA EM PORTUGAL 2


Empresária diz que pagou suborno a Lupi

Uma empresária do ramo de transportes confirma ter entregue R$ 200 mil ao ex-ministro do Trabalho Carlos Lupi (PDT) como suborno para acelerar a criação de um sindicato. O ex-ministro nega.
A denúncia de Ana Cristina Aquino –publicada pela revista "IstoÉ" no último final de semana– foi feita em entrevista à Folha ontem.
Ela afirmou ter levado o dinheiro a Lupi no próprio gabinete do ex-ministro em Brasília, no segundo semestre de 2011, com o objetivo de acelerar a obtenção do registro do Sincepe (Sindicato dos Cegonheiros de Pernambuco).
"Fui muito bem atendida, tomamos café, o ministro muito sorridente. Falava que ia ser o código sindical mais rápido da história, ele [Lupi] brincava com isso", disse.
Após o suposto pagamento, segundo Aquino, o processo de criação do Sincepe "andou em um dia o que andaria em um mês".
O trâmite teria desacelerado após a saída de Lupi da pasta, sob suspeitas de irregularidades, no final de 2011. Quem intermediou o encontro com Lupi, segundo a empresária, foi o advogado João Alberto Graça, assessor do ministro do Trabalho, Manoel Dias (PDT), e membro do diretório nacional do PDT.
Aquino diz que Graça figurou como sócio de uma de suas empresas, a filial paranaense da AGX Log Transportes, e advogou pela criação do sindicato de cegonheiros.
"Depois [Graça] saiu da sociedade [no final de 2013, após primeiras denúncias da "Isto É" sobre o caso] e exigiu, para não fazer confusão, R$ 180 mil mais R$ 300 mil, sem que tivesse colocado um real na empresa", disse a empresária em documento registrado em cartório, ao qual a Folha teve acesso.
Procurado por meio da assessoria do ministério, Graça não havia respondido até a publicação desta reportagem.
O dinheiro repassado a Lupi, segundo Aquino, era do empresário Sérgio Gabardo, dono da Transgabardo, no RS, e que ela diz ser ligado ao assessor Graça. Ele nega.
A empresária disse ser vítima de Gabardo e que ele "administra uma monumental lavagem de dinheiro com participação de políticos".
PARANÁ
À "IstoÉ" a empresária afirmou também ter pago R$ 500 mil ao secretário de Infraestrutura e Logística do Paraná, Pepe Richa, irmão do governador Beto Richa (PSDB), para abrir uma filial de sua empresa. Ele nega e diz temer que "interesses políticos estejam envolvidos".
OUTRO LADO
O ex-ministro Carlos Lupi (PDT), que ocupou o Trabalho de 2007 a 2011, classificou as acusações da empresária Ana Cristina Aquino como "surreais" e "inverossímeis".
Afirmou que nunca esteve com ela e que não há registro da suposta presença da empresária no ministério. "Vou colocá-la na Justiça e espero que vá para a cadeia", disse.
O Ministério do Trabalho informou que o processo de criação do Sincepe foi cancelado no último dia 23, por força de uma ordem judicial de abril de 2012, que apontou irregularidades na assembleia de fundação da entidade.
Escalado para falar com a reportagem, o secretário de Relações do Trabalho do ministério, Manoel Messias, que assumiu em junho de 2012, disse que não poderia responder pelo trâmite do processo do Sincepe no período anterior a sua chegada à pasta.
Segundo ele, eventual rapidez no processo verificada após 2012 resulta de mutirão de análises feito pela pasta.
O empresário Sérgio Gabardo disse ter mantido apenas relações comerciais eventuais com Ana Aquino, e negou participação em suposto esquema de corrupção.

XENOFOBIA EM PORTUGAL

A foto faz parte de uma campanha de denúncias de casos de discriminação e xenofobia surgidas durante as eleições para a Associação Acadêmica de Coimbra, da Universidade de Coimbra, em Portugal, em novembro de 2013. A chapa Lista R - AAC, composta por estudantes portugueses e brasileiros, que tinha como principal bandeira a luta contra discriminações dentro e fora da Universidade de Coimbra. "O objetivo era fazer com que as pessoas, ao lerem os cartazes, se dessem conta do quanto alguns comentários, que às vezes não passam de brincadeiras, são ofensivos e refletem o quanto os preconceitos estão enraizados na cultura".

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

ATENÇÃO APOSENTADOS E PENSIONIOSTAS ! A DILMA QUER ACABAR COM A GENTE !



Inflação 2013 (de acordo com o governo, nós sabemos que foi mais) = 5,92%
Reajuste do plano médico autorizado pela Agência Nacional de Saúde = 9%
Reajuste do Bolsa Família = 19,4%
Reajuste do Salário Mínimo = 6,6%
Aumento da Cesta Básica apontado pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) = mais de 10%
REAJUSTE DOS APOSENTADOS E PENSIONISTAS 5,56%

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

MENTIRAS, FRAUDES E DESCALABROS DO PT

Nas mentiras de Lula, Dilma e dos petistas, só existem 7,3 milhões de brasileiros desempregados e grande parte da massa ignara e embrutecida pela própria ignorância, saltou para a tão sonhada classe média. 


Pior é que tem gente da imprensa vermelha muito bem remunerada e até mesmo doutores muito bem catequizados, repetindo a mentira petista de que faz parte da classe média brasileira, quem ganha de R$ 291 à R$ 1.019 por mês. 

Imagine você, leitor, a que ponto de miséria intelectual, moral e econômica, o PT quer nos condenar. Ora, não se pode aferir uma classe social apenas pela sua capacidade de consumir uma cesta básica ou de contrair dívidas na compra de pequenos objetos. É necessário aferir um conjunto de covariáveis ao poder aquisitivo, tais como, o nível educacional, cultural, informacional, estabilidade de renda, dos ativos e disponibilidades de posses e haveres. 

Identificar um assalariado analfabeto ou analfabeto funcional, que ganha 2 salários mínimos como classe média é um atentado à inteligência. Ele poderia ganhar R$ 5 mil por mês, mas se não tiver acesso aos livros, à informação e aos bens culturais, continuará na base do obelisco social.


Aos padrões do mundo civilizado e culturalmente aparelhado, classe média-média é aquele que ganha pelo menos U$ 129 mil dólares por ano e que tem ativos (casa, carro, bens) avaliados em pelo menos U$ 1 milhão de dólares. Já a classe média alta é quem ganha acima disso e tem pelo menos U$ R$ 2 milhões em posses e haveres. Portanto, quem ganha de R$ 191 à R$ 1.019 por mês, apenas sobrevive de ilusões e rezas, sabe-se lá como. 

LIQUIDANDO DE UMA VEZ POR TODAS A MENTIRA PETISTA QUE OS TOLOS E ADESTRADOS REPETEM POR AÍ:

Pesquisa recente do IBGE indica que o Brasil tem 159,1 milhões de pessoas com idade de trabalhar. Ocorre que 61,3 milhões de brasileiros não trabalham, nem procuram emprego e não entram nas estatísticas oficiais do desemprego do PT. Isso corresponde a 38,5% da população com idade de trabalhar e equivalente à soma do total da população de São Paulo e do Rio de Janeiro. 

A pesquisa revela ainda que a imensa maioria dos desocupados brasileiros não concluiu sequer o ensino fundamental. Eis o Brasil nosso a caminho do abismo econômico e social.

Lula e Dilma e os delinquentes de estimação do PT deixarão a Nação devendo mais de R$ 3 trilhões; já quebraram a Petrobrás, a Eletrobras e continuam dilapidando os cofres públicos, o BNDES, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica. 

Não há saída, leitor: ou removemos o PT do poder nas próximas eleições, ou o PT deixará o Brasil completamente falido, arruinado e com a metade da população desocupada e viciada na esmola do dia. 

Ruy Câmara
http://blogdoescritorruycmara.blogspot.com.br/2014/01/mentiras-fraudes-e-descalabros-do-pt.html

sábado, 25 de janeiro de 2014

Cresce o movimento contra a Copa

Diversas manifestações permearam o país. #nãovaitercopa está pipocando na internet. Textos em inglês, espanhol e italiano explicam aos estrangeiros que não queremos mais a copa.

O movimento tende a crescer na medida de sua divulgação.

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Jornais: 82% dos paulistanos são contra ‘rolezinho’


Para 80% dos entrevistados, os lojistas agem corretamente ao buscar a Justiça para proibir os encontros. Outros 73% consideram que a Polícia Militar deve ser acionada para impedi-los, mostra pesquisa realizada pelo Datafolha


FOLHA DE S. PAULO
82% dos paulistanos são contra ‘rolezinho’
Se os rolezinhos forem mesmo um movimento de protesto contra o apartheid social, como querem alguns setores progressistas, a pesquisa Datafolha sobre o fenômeno do verão vem confirmar que a população da cidade é bem conservadora: 82% dos paulistanos se dizem contra os encontros de jovens da periferia em shopping centers.A condenação da atividade é geral, sob qualquer recorte que se faça da pesquisa com 799 moradores da capital maiores de 16 anos. A média dos que apoiam as reuniões é de meros 11% e aumenta muito pouco – considerada a margem de erro da pesquisa, de quatro pontos percentuais, para baixo ou para cima – mesmo entre aqueles dos quais seria de esperar certa aprovação.Moradores da zona leste, o maior bolsão de exclusão social da cidade? Apenas 8% de aprovação, a menor de todas. Jovens? Só 18% dos que têm até 24 anos se declaram favoráveis aos rolezinhos.Para 80% dos entrevistados, os lojistas agem corretamente ao buscar a Justiça para proibir os encontros. Outros 73% consideram que a Polícia Militar deve ser acionada para impedi-los. E 72% acham que não há preconceito de cor na reação dos shoppings, em aberta contradição com a ministra da Igualdade Racial, Luiza Bairros (PT), para a qual há “discriminação racial explícita”.

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Pedrinhas: mais uma ponta dos icebergs do caos

por Marco Antonio dos Santos
Os acontecimentos no complexo penitenciário de Pedrinhas no Maranhão são apenas mais uma das inúmeras pontas de icebergs que estão imersos no caos das más políticas públicas ou da ausência delas nas administrações federal e estaduais desde 2003.Para qualquer setor que se olhe – saúde, educação, economia, social, defesa ou segurança – o que se observa são inciativas desconexas, traduzidas em programas pouco transparentes, embora se afirme o contrário, sempre citando números elevados para os investimentos previstos para aplicação e que, quase rotineiramente, passado algum tempo, são constatados escândalos envolvendo desvios fraudulentos.Inúmeras são as demonstrações inequívocas de que o país navega sem rumo definido, a não ser em direção ao tal padrão FIFA, que ninguém sabe bem a quem ou ao que serve tal paradigma. Bem, talvez alguns saibam. Mas que custa caro, ah, isso custa.A única política, nem clara e nem transparente a bem da verdade, mas bem identificada pelos efeitos nefastos que está trazendo aos cidadãos, é a do desarmamento civil. Essa é inegável, sempre sob a ótica de que desarmando o cidadão de bem, em prazo que ninguém é capaz de prever, também os bandidos ficarão, como que por encanto, desarmados, vem sendo empreendida com eficaz empenho dos burocratas sem visão a serviço da mediocridade dos mentores da idéia.Ninguém defende melhor a si próprio, a seus entes queridos e aos seus bens do que o próprio individuo ameaçado. Isso é antológico.Mas o estatismo impregnado na cabeça dos socialistas ultrapassados, com visão de fins do século XVIII, que ocupam o governo, republicanamente eleitos, convém afirmar, persistem na intenção de manter a tudo sob controle, pessoas, bens, produção e economia, como se isso fosse possível. Daí o intento de penhora da vida do cidadão às forças de segurança do Estado. Pedrinhas é o paradigma do fracasso na busca desse objetivo.O resultado é claro: não reaja, não faça nada, leve dinheiro para dar aos bandidos, não frequente lugares bucólicos isolados, não saia a noite; negando ao brasileiro o direito de ir e vir, à propriedade e à legítima defesa, em última instância.Mais um dos resultados dessa desorientação aí está.Facções criminosas dominam os presídios, estabelecendo todos os ditames de conduta aos presos que passam a ter missões a cumprir nos "saidões" (matando policiais, magistrados, promotores e indivíduos incômodos; praticando roubos e furtos, sequestrando etc); cedendo suas companheiras para abuso de chefões durantes períodos de visita; traficando drogas; comandando suas organizações e outras ações delituosas de dentro dos estabelecimentos penais; corrompendo policiais e agentes penitenciários a quem são oferecidas apenas duas oportunidades: aceitar ou morrer. E por aí vai.O que o país precisa é de governo.Governo que tenha capacidade de prever e empreender politicas antidrogas e de prevenção ao uso delas;políticas de segurança e ordem publicas integradas á outras de cunho social com objetivos bem definidos e não apenas para dar dinheiro sem retorno; políticas de saúde pública que reduzam a violência vista nas portas de hospitais públicos diariamente; políticas de repressão aos tráficos de pessoas, drogas, armas (as armas que desequilibram a segurança pública são pistolas semiautomáticas, fuzis, metralhadoras, granadas, artefatos explosivos com meios de lançamento e outros itens bélicos contrabandeados, não os "revolverzinhos" 38 do cidadão) e pirataria; políticas anticorrupção e contra corrupção efetivas, não os arremedos divulgados; políticas de desaparelhamento político da administração pública que tragam competência à gestão de setores técnicos do governo, como SENAD, SENASP, DPF e DEPEN, independentes de cotas partidárias que nutrem feudos ineficientes e corruptos; e políticas penitenciárias que diferenciem pessoas atuantes no crime estruturado, de praticantes ocasionais de delitos, de criminosos passionais e de portadores de síndromes associadas à violência..É bem oportuno lembrar, tal e qual em situações de crise congêneres, no episódio presente do complexo prisional de Pedrinhas, as autoridades, como que em passes de mágica desparecem. Filho feio não tem dono, como diz o dito popular. É bom ser mandatário em coquetéis, solenidades e viagens ao exterior. Aliás, alguém tem visto a Secretária Nacional de Segurança Pública por aí? Ou a presidenta e seu ministro da (in)Justiça?É fato também que o Legislativo não faz a sua parte e o Judiciário tenta remendar o processo dentro do que é possível no estamento legal brasileiro.O importante é que a avalanche da desagregação social ganha dimensão de incontrolabilidade e se aproxima rápida. Estão sendo ignorados os sinais de 20 de junho de 2013, quando as massas começaram o processo de tomada das ruas.O poder das massas, embora democrático, não é bom quando não institucionalizado sob o manto da democracia.Talvez, tenhamos um caos de violência em junho / julho de 2014 se persistirem os fatores determinantes agora vistos, depois o Brasil terá eleições. É bom pensar em quem votar.As situações que aí estão são de total responsabilidade dos políticos que aí também estão.Com diz um dito do interior: se não podemos trocar a carniça, troquemos as moscas.
Marco Antonio dos Santos, 
Empresário  e professor, é Analista de Inteligência estratégica

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

ATENÇÃO APOSENTADOS E PENSIONISTAS ! A DILMA QUER ACABAR COM A GENTE !



* Inflação 2013 (de acôrdo com o governo, nós sabemos que foi muito mais) = 5,92%

* Reajuste do plano médico autorizado pela ANS (Agência Nacional de Saúde) = 9%
* Reajuste do Bolsa Família = 19,4%
* Reajuste do Salário Mínimo = 6,6%
* Aumento da Cesta Básica apontado pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) = mais de 10%
"REAJUSTE DOS APOSENTADOS E PENSIONISTAS 5,56%"
É o PEA - Plano de Extinção dos Aposentados criado pela Dilma

Ministra da Igualdade Racial combate discriminação discriminando

Pense numa ministra racista…Enquanto tem gente que discrimina negros, a ministra mostra que discrimina brancos.Hoje, todo cuidado é pouco na hora de falar sobre o tema.A dIscriminação não pode ser combatida com discriminação.Leia nota da coluna Painel, da Folha:*Apartheid no shopping A ministra da Igualdade Racial, Luiza Bairros (PT), acusa a polícia e os frequentadores de shoppings de discriminar jovens negros nos “rolezinhos”. “As manifestações são pacíficas. Os problemas são derivados da reação de pessoas brancas que frequentam esses lugares e se assustam com a presença dos jovens.” Para ela, a liminar que autorizou os shoppings a barrar clientes “consagra a segregação racial” e dá respaldo ao que a PM “faz cotidianamente”: associar negros ao crime.*Incômodo Para a ministra da Igualdade Racial, um naco da elite brasileira se incomoda ao encontrar jovens negros no shopping. “Uma parcela da sociedade não quer a presença deles em determinados lugares”, diz.

FONTE: http://goo.gl/TqEg54

São Paulo, vamos, lidere!

Marli Gonçalves
Levante a cabeça, esqueça os políticos. Lidere. Agora ou nunca, inclusive antes que a cidade acabe, desmoronada e envergonhada, junto de um país com os nervos em frangalhos envolto em bolsas e mentiras. Apenas comece, lidere, pelas mudanças que vêm sendo clamadas pelos de bem. Pode ser silenciosamente, da forma emburrada e trabalhadora que lhe é da personalidade, mas use o seu inegável poder. Reaja! Aproveite seu aniversário de 460 anos e reflita. Você, São Paulo, tem a força.
marli_goncalves_24Há 90 anos, 1924, sábado, 5 de julho, um grupo de jovens tenentes aproveitava o fim de semana para tentar iniciar a mudança das coisas que vinham degringolando rapidamente. Queriam reformas, modernidade, desenvolvimento, clamavam por novos costumes e pelo fim do duro poder constituído à época. Era o início de uma batalha sangrenta, pavorosa e destrutiva, que durou 22 dias. Tocaram o governador do Palácio, aborreceram bastante o presidente Arthur Bernardes. Chamada ainda hoje de revolução esquecida, muitos de seus líderes foram simplesmente varridos das memórias, embora em alguns bairros da Capital as marcas e rombos ainda teimem em nos lembrar do horror dos bombardeios. Generais mandaram calar as vozes discordantes à base de destruição, com a morte de muitas famílias. Pois é: imagine que, sim, já houve uma guerra aqui. Há quem diga ainda que a mira era muito ruim e que as bombas eram jogadas ao léu, achatando casas, famílias e a nossa moral.
“Da Avenida Paulista ao Brás, ao Belenzinho, à Vila Mariana, à Mooca, às Perdizes, ao Ipiranga, à Vila Prudente, trincheiras foram abertas nas ruas. Um tiro de canhão despejou uma bomba no Liceu Coração de Jesus e feriu algumas crianças. A Igreja da Glória, no Lavapés, foi praticamente destruída. Famílias inteiras morreram dentro de casas bombardeadas. Mortos foram sepultados em terrenos baldios e quintais. Mais de um terço da população fugiu para o interior. Um grande número de adultos e crianças foi recolhido a um acampamento de refugiados da Cruz Vermelha. Aquele foi um dos invernos mais frios de São Paulo”, relembrou José de Souza Martins em artigo no Estadão, em 2010. “A cidade foi bombardeada durante 22 dias. Artur Bernardes e seu ministro da Guerra mandaram dizer aos que pediam misericórdia para o povo de São Paulo que São Paulo era rica e não teria problemas para reconstruir a bela cidade se ela fosse destruída…” – continua o relato.
E hoje? Hoje assistimos calados a nossos jovens sendo mortos nas esquinas por outros sem esperança. Qualquer coisa para e imobiliza a cidade, como se bombardeada de novo estivesse sendo todos os dias. Impiedosamente. Sem eira nem beira, e agora na versão prefeito coringa, atirador para tudo quanto é lado. Tudo cai, tudo fura, e o pouco de bom se esvanece com faixas voltando a emporcalhar até o visual que tentávamos melhorar. Aqui, buracos fazem aniversário junto da cidade. As árvores se suicidam ou são mortas por quem não gosta de suas folhas de outono. Todas as rotas estão rôtas.
Dê um passo à frente. A hora é agora. Todos os Estados estão submetidos a uma mão de ferro que aperta os pescoços se autointitulando mãe e salvadora. Tenho certeza de que se você, São Paulo, “abrir os trabalhos”, mais cidades virão e nos darão as mãos, porque é nelas que vivemos, nos municípios, nas vilas; nós e nossos vizinhos é que somos o poder cidadão.
Paulistaneidades, Paulistanices, Paulistadas, Paulistagens, paulistanidos – formaremos ainda mais novas palavras. Se já somos paulistinhas – peixes, aviões, vira-latas ou santas estátuas ocas – podemos ser chamados como paulistaninhos: grupo formado por essa gente de todos os lugares, culturas, rincões, e que aqui constroem suas vidas, alimentam seus filhotes, mas começam a perder seus sonhos e sono. Sem bairrismos, mas revolucionários.
São Paulo, não haverá quem negue sua força. Talvez sem charme, com a deselegância discreta de suas meninas, mas de sua força ninguém duvida. Aproveite o tempo. A coisa está tão feia que o verão inclemente já chega quase no fim e não houve ainda nem nova moda criada nas praias do Rio, como de costume. Por aqui só se ensaiam rolês em shoppings de cimento, para gáudio apenas dos sociologistas, psicolojecas chatos de plantão, que querem aplicar suas teses de banheiro à realidade mais crua e nua que se descortina.
Romantismo? Pode ser. Mas garanto que, nascida aqui na sua Rua Augusta, feita no Rio, com pai amazonense, mãe mineira e irmão do interior, conclamo a sua liderança em nome de todos os lugares, muitos recatados, outros dominados.
Não falo de política, desse ou outro partido, que todos estão esfacelados. Falo de ação, de conteúdo. Sem chuchu e sem esse povo sem tato que mais parece biruta de aeroporto em dia de vendaval. Também não falo – nem de longe!- de militares, porque só de ouvir o rufar de seus tambores sinto náuseas e lembro da distância do sonho dos jovens tenentes de outrora.
São Paulo, aproveite esse seu aniversário. Parabéns. Mas reaja. Volte a ocupar algum lugar nessa história.
Daqui, 2014
(*) Marli Gonçalves é jornalista – Podíamos começar pela tomada dos rios Tietê e Pinheiros, para limpá-los e, neles, ao menos podermos verter nossas lágrimas e continuar remando contra a maré.

Medo de 'rolezinho' é reação de brancos, diz ministra

Apartheid no shopping A ministra da Igualdade Racial, Luiza Bairros (PT), acusa a polícia e os frequentadores de shoppings de discriminar jovens negros nos "rolezinhos". "As manifestações são pacíficas. Os problemas são derivados da reação de pessoas brancas que frequentam esses lugares e se assustam com a presença dos jovens." Para ela, a liminar que autorizou os shoppings a barrar clientes "consagra a segregação racial" e dá respaldo ao que a PM "faz cotidianamente": associar negros ao crime.
Incômodo A ministra diz que parte da elite brasileira se incomoda ao encontrar jovens negros no shopping. "Uma parcela da sociedade não quer a presença deles em determinados lugares."
Conselheira Luiza Bairros integrou o grupo seleto de três ministros convocados para aconselhar Dilma Rousseff sobre os "rolês" na terça-feira. Também participaram José Eduardo Cardozo (Justiça) e Marta Suplicy (Cultura).

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Documento mostra como Alstom distribuiu propina

Um documento apreendido na sede da Alstom, na França, indica que integrantes da Secretaria de Energia e três diretorias da EPTE (Empresa Paulista de Transmissão de Energia) foram subornados para que a companhia obtivesse em 1998 um contrato de US$ 45,7 milhões (R$52 milhões, em valores da época) com a estatal paulista.
Até agora, a Polícia Federal só havia chegado até o intermediador da propina, o lobista Romeu Pinto Jr., que admitiu ter recebido recursos da Alstom para pagar suborno, mas alegou desconhecer os destinatários. Ele sustenta que entregou os valores a motoboys enviados por pessoas que não conhecia.
O documento traz detalhes da divisão e do caminho do dinheiro. Segundo o papel, a Secretaria de Energia, chamada de "SE", recebeu 3% do contrato (R$ 1,56 milhão). Já as diretorias financeira, administrativa e técnica da EPTE aparecem como destinatárias de 1,5% (R$ 780 mil), 1% (R$ 520 mil) e 0,13% (R$ 67,6 mil), respectivamente.
À época da assinatura do contrato, em abril de 1998, o secretário de Energia era Andrea Matarazzo, que ocupou o cargo por seis meses. Ele nega ter recebido propina.
Editoria de Arte/Folhapress
O documento menciona os destinatários do suborno por meio de siglas. "SE" era a forma como a Alstom chamava a Secretaria de Energia em comunicações internas, segundo papéis do inquérito da PF. As diretorias são designadas pelas siglas DF, DT e DA.
Folha consultou Jean-Pierre Courtadon, que foi vice-presidente da Alstom-Cegelec, e ele confirmou que DA, DT e DF costumavam designar diretorias administrativas, técnica e financeira.
Courtadon é investigado no Brasil sob suspeita de ter repassado propina, o que ele nega. Apuração na Suíça concluiu que ele não fez repasses a políticos e inocentou-o.
Entre 1998 e 1999, as diretorias administrativa, técnica e financeira da EPTE eram ocupadas por Carlos Eduardo Epaminondas França, Sidney Simonaggio e Vicente Okazaki, respectivamente. Como as negociações para o contrato se estenderam por anos, não dá para saber se o documento designa esses diretores ou outros.
ENIGMA
O mistério do documento é a sigla "F", apontada como recebedora de 2% do valor do contrato (R$ 1,04 milhão). Entre os executivos que assinaram o contrato, há um cujo sobrenome começa com "F": Henrique Fingerman.
Ele foi diretor financeiro da EPTE até maio de 1998 e assumiu a presidência da empresa em seguida. Fingerman, como Matarazzo, já foi indiciado pela PF sob suspeita de corrupção.
O valor do suborno no documento chega a R$ 6,4 milhões, ou 12,3% do contrato. O maior valor, segundo a PF, foi pago a Robson Marinho, conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (R$ 2,07 milhões) e chefe da Casa Civil do governo Mário Covas (PSDB) entre 1995 e 1997.
A investigação brasileira sobre a Alstom começou em 2008 para apurar suspeita de que a companhia havia pago propina para reativar em 1998 aditivo de contrato que fora assinado em 1983 para construção de três subestações de energia. A lei limita a duração de contratos a cinco anos.
O documento obtido pela Folha foi usado nos processos francês e suíço contra a Alstom. O da França foi arquivado porque até 2000 era permitido pagar comissões para obter negócios no exterior. O da Suíça resultou numa multa para a Alstom de US$ 42,7 milhões em 2011. A multa não contemplou a suspeita de suborno no Brasil porque a apuração aqui não foi encerrada.
O promotor Silvio Marques, que atua no caso, diz já ter visto o documento na Suíça. " Ele nunca foi usado porque ninguém sabia o significado das siglas".
O documento aponta que a empresa MCA, usada por Romeu Pinto Jr. para intermediar a propina, recebeu 7,5% do valor do contrato diretamente da Alstom francesa. Contas secretas que a Alstom tinha na Suíça remeteram mais US$ 516 mil para a MCA.
A Alstom do Brasil também participou do processo. A empresa Acqua Lux, que pertence a Sabino Indelicato, recebeu R$ 1,82 milhão (3,5% do contrato). Investigadores suspeitam que Indelicado seja laranja de Robson Marinho. 

sábado, 18 de janeiro de 2014

Cartel fez CPTM pagar até 34% mais caro

Três contratos de manutenção da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) assinados em 2007, todos com indícios de cartelização, custaram R$ 300 milhões a mais do que os mesmos serviços contratados em 2012, de acordo com levantamento da Folha.
Os indícios de cartel nos contratos de 2007 levaram o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) a inclui-los na investigação do órgão federal, que cuida da defesa da concorrência. O Cade apura a formação de cartel no setor de trens em São Paulo desde maio do ano passado, quando a empresa alemã Siemens delatou a existência de conluio entre empresas de 1998 a 2008, do qual ela mesma diz ter participado.
A licitação de manutenção de 2007, no entanto, não foi mencionada pela companhia entre as concorrências fraudadas pelo cartel. Os principais indícios de conluio nos contratos de 2007 são o baixo desconto que as empresas ofereceram em relação ao preço de referência e a divisão de lotes. Preço de referência é o valor que a CPTM orça para o serviço. Ganha quem oferecer o maior desconto.
A maior diferença em valores nominais está nos contratos dos trens da série 2100. A comparação mostra uma economia de R$ 200 milhões na licitação mais recente, uma vez que a CPTM pagou R$ 490 milhões em 2007 e R$ 290 milhões em 2012. Na concorrência de 2007 para os trens da série 3000, com indícios de conluio, o maior desconto foi de 2,9%. Cinco anos depois, o desconto chegou a 34%.

Ex-diretor da CPTM menciona propina a agentes públicos

Em depoimento à Polícia Federal, o ex-diretor administrativo e financeiro da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) Benedito Dantas Chiaradia citou ter ouvido informações de que agentes públicos recebiam propina proveniente do cartel que atuava em licitações de trens no Estado.
No depoimento, ele afirmou que "ouviu comentários de pessoas que trabalhavam no setor metroviário" de que um lobista "intermediava a formação de cartéis no setor e viabilizava o pagamento de propinas para servidores da CPTM e do Metrô".
A informação foi publicada ontem pelo jornal "O Estado de S. Paulo".
Chiaradia também relatou não saber de valores recebidos pelo ex-diretor da CPTM Roberto Zaniboni, mas "que há uma lógica da circulação desse dinheiro dessas empresas offshore, o que leva a crer que Zaniboni possivelmente recebeu aqueles valores a título de propina".
O advogado Luiz Fernando Pacheco, que defende Zaniboni, disse que seu cliente "jamais se reuniu com Chiaradia e desafia-o a provar que ele tenha adotado alguma conduta irregular na CPTM".
Até então, o único depoimento da investigação do caso que mencionava a existência de cartel era o do ex-diretor da Siemens Everton Rheinheimer.
DEMISSÃO
Chiaradia falou à PF no dia 14 de novembro. Um mês depois, foi demitido do DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica)
Em nota, o DAEE disse que Chiaradia foi afastado do cargo por estar sendo investigado pela Polícia Federal.
A advogada e filha do ex-funcionário do DAAE, Adriana Chiaradia, disse que ele se sente injustiçado. "Outros funcionários estão sob investigação e não foram demitidos", disse.
De acordo com Adriana, havia um acordo com o governo para que o contrato de trabalho de Chiaradia ficasse suspenso por um mês durante as apuração do caso, mas depois ele foi surpreendido por um telegrama com o aviso de sua demissão.
ALCKMIN
Em entrevista coletiva na manhã de ontem, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), negou que exista relação entre a demissão de Chiradia do DAEE e seu depoimento prestado à Polícia Federal.
"Era um cargo de confiança do próprio DAEE e ele saiu. Nenhuma relação", disse o governador.
Questionado sobre o motivo da demissão, Alckmin respondeu: "Nem tinha conhecimento de que ele estava no DAEE. Não tem nenhuma razão específica".
Fonte: Folha de São Paulo

De onde sai o dinheiro do Delubio pra pagar a multa? Ele dispõe de Caixa 2

Justiça aumenta multa de Delúbio Soares no processo do mensalão 

 A Vara de Execuções Penais (VEP) do Distrito Federal determinou nesta sexta-feira (17/1) que o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares pague multa de R$ 466,8 mil pela condenação na Ação Penal 470, o processo do mensalão. Delúbio tem dez dias para pagar a multa. 

Se o valor não for pago, o débito será inscrito na Dívida Ativa da União. Durante o julgamento do processo, a multa de Delúbio foi fixada em R$ 325 mil. No entanto, de acordo com o Código Penal, o valor final da multa deve ser corrigido monetariamente após o fim do processo. 

Os crimes praticados pelo ex-tesoureiro ocorreram em 2003. A Justiça do Distrito Federal também determinou que mais quatro condenados no processo paguem multas até o dia 20 de janeiro. Ramon Hollerbach e Cristiano Paz, ex-sócios do publicitário Marcos Valério, terão de pagar, respectivamente, R$ 3,96 milhões e R$ 2,65 milhões.

O ex-deputado federal Valdemar Costa Neto foi multado em R$ 1,6 milhão. A multa de Valério também foi reajustada, mas o valor não foi divulgado. 

O ex-deputado José Genoino terá que pagar multa de R$ 667,5 mil. A família de Genoino criou um site para arrecadar doações para pagar a multa. Segundo os parentes, o ex-deputado não tem dinheiro para quitar o débito.

Em ofício sigiloso, procurador aponta 'fortes indícios' de propina da Siemens

O procurador achou O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou ao STF que "há, sim, fortes indícios de existência do esquema de pagamento de propina da Siemens a agentes públicos vinculados ao Metrô de São Paulo". A frase está em ofício enviado ao ministro Marco Aurélio Mello no último dia 7. Janot pediu acesso a depoimentos da investigação sobre o cartel que agia em governos do PSDB em São Paulo. Esta foi sua primeira manifestação sobre o caso, que corre em sigilo.
Valores Janot cita indícios de que as empresas Constech e Procint, ligadas ao lobista Arthur Teixeira, "receberam cerca de
R$ 8.603.156,98 da Siemens e da Alstom". O dinheiro teria acabado nas mãos de dirigentes do Metrô e da CPTM.
Pedágio O procurador-geral cita ainda trecho do depoimento sigiloso em que Everton Rheinheimer, ex-executivo da Siemens, afirma que "o repasse aos políticos seria de 5%, ficando o restante com os consultores".
Excelências Janot disse ao STF ter entrado no caso por causa da "suposta participação" de parlamentares. Já foram citados os deputados Edson Aparecido (PSDB), Rodrigo Garcia (DEM), José Aníbal (PSDB) e Arnaldo Jardim (PPS). Todos negam envolvimento no esquema.
Mordaça O PT baixou lei do silêncio sobre a acusação de que Gilberto Kassab (PSD) teria recebido "uma fortuna" da empresa que fazia a inspeção veicular em São Paulo. Ontem o prefeito Fernando Haddad ficou calado ao ser perguntado sobre o assunto.
Tem prefeito aí? Abandonado por petistas mais ilustres, João Paulo Cunha (PT-SP) agradeceu a cada prefeito presente em seu ato político, anteontem: "Quem é prefeito tem que ter muita coragem para vir aqui."
O daqui, não tem Imediatamente, dois militantes que ouviam o discurso comentaram: "Pois é... E cadê o de Osasco?". Jorge Lapas (PT) não apareceu no evento.
No entanto... O deputado José Mentor (PT-SP) bateu ponto no ato. Ele foi investigado pela CPI dos Correios, que apurou o mensalão, mas escapou da cassação por quebra de decoro parlamentar.
Alerta de vaia A viagem para Natal na próxima quarta-feira pode render dor de cabeça a Dilma Rousseff. Manifestantes querem aproveitar a inauguração da Arena das Dunas para protestar contra os gastos com a Copa.
Tem para todas A turma também deve ir ao estádio pedir a saída de Rosalba Ciarlini (DEM). Na última ida ao Rio Grande do Norte, a presidente tentou, em vão, conter uma vaia à governadora.
Ele era o cara Dilma leu a íntegra do discurso de ontem em que Barack Obama admitiu erros e prometeu que os Estados Unidos vão parar de espionar países aliados.
Depois eu falo A presidente pediu ao Itamaraty uma análise sobre as mudanças que Washington anunciou nos sistemas de espionagem. Ela só quer se pronunciar após ler o relatório.
Eles resolvem No jantar desta semana com o vice Michel Temer, um cacique do PMDB teve uma ideia para solucionar a crise nos presídios do Maranhão: "É só mandar a turma da Papuda para Pedrinhas. Em um instante, o PT põe ordem lá!"
Berçário eleitoral Às vésperas do nascimento do quinto filho de Eduardo Campos (PSB), Aécio Neves (PSDB) anunciou ontem que também está "grávido". As atenções agora se voltam para Paula Rousseff, que deu um neto à então candidata do PT na campanha de 2010.

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Matéria do ucho.info repercute e leva o governo do DF a apurar uso de celular por José Dirceu na prisão

jose_dirceu_37Na mosca – Mais uma vez o ucho.info sai à frente da grande imprensa nacional e de novo faz escola. Na edição do último dia 6 de janeironoticiamos que o Conselho Nacional de Justiça precisava fazer uma operação pente fino no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, para acabar com a mordomia dos mensaleiros condenados à prisão e que cumprem pena no local.
Nesta sexta-feira (17), a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal informou que apurará a denúncia de que o ex-ministro da Casa Civil e deputado cassado José Dirceu de Oliveira e Silva, o Pedro Caroço, teria utilizado telefone celular no presídio da Papuda, onde encontra-se preso desde o dia 16 de novembro de 2013, após condenação do Supremo Tribunal Federal (STF) na esteira do julgamento da Ação Penal 470, que teve como cardápio único o escândalo do Mensalão do PT.
Na edição desta sexta-feira, o jornal “Folha de S. Paulo” apenas confirmou o que antecipou com exclusividade o ucho.info. De que José Dirceu teria conversado por telefone, no dia 6 de janeiro, com o secretário da Indústria, Comércio e Mineração do estado da Bahia, James Correia.
Se James Correia de fato conversou com o chefe do Mensalão do PT não se sabe, mas é fato que o local onde encontram-se presos os mensaleiros tornou-se um oásis de privilégios dentro da Papuda. A Secretaria de Segurança Pública do DF explicou por meio de nota divulgada à imprensa que “todas as informações veiculadas por meio da matéria serão alvo de um processo administrativo disciplinar aberto na manhã de hoje. O resultado da apuração deverá transcorrer ao longo do mês de janeiro e tem um prazo de até 30 dias para ser concluído”.
As mordomias colocadas à disposição dos delinquentes do Mensalão do PT não se limitam ao uso de telefone celular, mas acesso à rede mundial de computadores, televisão de plasma e outras quinquilharias tecnológicas que por certo a Lei de Execução Penal proíbe com todas as letras. Esse reduto de privilégios é de conhecimento da cúpula do governo do Distrito Federal e está sob a responsabilidade direta do gabinete do governador Agnelo Queiroz.
Ousadia mensaleira e ética jornalística
José Dirceu é abusado e deveria redobrar a atenção com as pessoas que decide enfrentar com presunção e soberba, pois não será um Donizete qualquer da vida o portador de ameaças a cidadãos de bem, começando por jornalistas que lutam pelo fim da corrupção e combatem com firmeza e determinação o projeto totalitarista de poder do Partido dos Trabalhadores.
Que esse episódio sirva de lição para o outrora Rasputin do governo Lula, uma vez que ainda existem no País jornalistas que não se curvam de maneira obediente e criminosa diante do dinheiro imundo e fétido que escorre pela rampa do Palácio do Planalto.
Outrossim, seria de bom alvitre que a “Folha de S. Paulo” fizesse valer a ética que brada aos quatro cantos e mencionasse em sua matéria que a notícia sobre o uso indevido de celulares pelos mensaleiros na Papuda foi publicada em primeira mão peloucho.info, que não por acaso é “A MARCA DA NOTÍCIA”.
Confira abaixo a íntegra da nota divulgada pela Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal
“NOTA À IMPRENSA
Sobre a matéria publicada hoje (17/01) no jornal Folha de São Paulo sobre a suposta utilização de celular pelo apenado da Ação Nº 470, José Dirceu, dentro do Complexo Penitenciário da Papuda, a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal esclarece que:
1 – Todas as informações veiculadas por meio da matéria serão alvo de um processo administrativo disciplinar aberto na manhã de hoje. O resultado da apuração deverá transcorrer ao longo do mês de janeiro e tem um prazo de até 30 dias para ser concluído.
2 – O resultado do processo será encaminhado à Vara de Execuções Penais (VEP).”

Governo segura repasses do SUS em dezembro e ajuda superávit primário - OBRIGADO PADILHA


O governo federal reduziu os repasses financeiros do Sistema Único de Saúde (SUS) a Estados e municípios na virada do ano, revelam dados levantados pelo jornal O Estado de S. Paulo. O expediente, que “poupou” R$ 2,66 bilhões do Tesouro Nacional em dezembro de 2013 na comparação com mesmo mês de 2012, ajudou o governo Dilma Rousseff a cumprir a meta de economia para pagar juros da dívida pública, o chamado superávit primário. Dados do Fundo Nacional de Saúde (FNS), agente financeiro do SUS vinculado ao Ministério da Saúde, evidenciam o recuo, em dezembro, nas transferências cujo repasse é automático pelo modelo “fundo a fundo”: em 2012, foram repassados R$ 8,6 bilhões. Em 2013, R$ 5,94 bilhões. As principais reduções ocorreram nas parcelas de procedimentos de média e alta complexidade, atenção básica e gestão do SUS. São recursos para financiar ações como saúde da família, agentes comunitários, saúde bucal, serviço de atendimento móvel de urgência, pronto atendimento, cirurgias, radioterapias, transplantes, próteses e aquisição de medicamentos, além de monitoramento e auditoria do sistema. Em seu programa como candidata à Presidência em 2010, Dilma Rousseff prometeu universalizar a saúde e garantir a qualidade de atendimento do sistema. “Acredito que o SUS é uma estrutura ainda incompleta, com falhas, que nós temos obrigações de sanar, até porque, apesar das suas limitações, é uma conquista inestimável da democracia brasileira”, disse, em março de 2011. Secretários estaduais da Fazenda e da Saúde apontam a redução da parcela de dezembro como uma tática para adiar gastos e reforçar a meta de superávit de R$ 75 bilhões, cujo anúncio de cumprimento foi antecipado de maneira inusual pelo ministro Guido Mantega, no início de janeiro. O represamento da parcela tem sido “compensado” nestes primeiros dias de janeiro. Leia mais no Correio.

Kassab recebeu ‘fortuna’ da Controlar, acusa testemunha

Gilberto Kassab (PSD), ex-prefeito de São Paulo
Em depoimento ao Ministério Público Estadual (MPE), uma testemunha protegida disse ter ouvido que o ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab (PSD) recebeu “verdadeira fortuna” da Controlar, empresa responsável pela inspeção veicular, e que o dinheiro ficou guardado em seu apartamento. Ex-secretário de Finanças de Kassab, Mauro Ricardo também é citado. A testemunha não apresentou provas e os acusados negam irregularidades. A testemunha relatou fatos que teriam sido narrados por Ronilson Bezerra Rodrigues, apontado como líder da máfia do Imposto Sobre Serviços (ISS). Ele afirmou que Kassab pediu ajuda ao empresário Marco Aurélio Garcia, irmão do secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Rodrigo Garcia, para levar o dinheiro até uma fazenda em Mato Grosso. Kassab nega e classifica as acusações como “fantasiosas”. Ainda segundo o relato, Ronilson disse à testemunha protegida, “em tom de anedota”, que o avião “teve dificuldade de decolar em razão da quantidade de dinheiro embarcada”. O depoimento da “testemunha Gama” consta do Procedimento Investigatório Criminal (PIC) 03/2013 do MPE, presidido pelo promotor Roberto Bodini, e foi anexado aos autos no dia 19 de dezembro.
Artur Rodrigues, Bruno Ribeiro e Fabio Leite, Agência Estado

Dívida pública brasileira - A irresponsabilidade da economista Dilma

Gastos irresponsáveis do governo fazem dívida crescer duas vezes e meia mais rápido que o PIB.

Não é de hoje que o PT vem se mostrando extremamente hábil na manipulação de números que coloquem a opinião pública a seu favor. Se, por exemplo, criam um índice BAIXÍSSIMO para definir o que seria “pobreza extrema”, convenientemente “esquecem” de reajustá-lo de acordo com inflação, o que faz com que naturalmente milhões ultrapassem seu limite ano a ano. Foi o que apontou matéria da BBC ainda em março:

Adotado em junho de 2011 pelo governo, quando foi lançado o plano Brasil Sem Miséria (guarda-chuva das políticas federais voltadas aos mais pobres), o valor jamais foi reajustado. Se tivesse acompanhado a inflação, hoje valeria R$ 76,58.
Em onze das 18 capitais monitoradas pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), R$ 70 não garantem sequer a compra da parte de uma cesta básica destinada a uma pessoa. Em São Paulo, seriam necessários R$ 95,41 para a aquisição.

A falácia da quitação da dívida externa

Uma outra falácia repetida inúmeras vezes sem questionamentos por parte da mídia tida como golpista pelo governo diz respeito à quitação da dívida externa brasileira. Sim, foi quitada. Mas ao custo do estouro da dívida interna, com juros muito maiores e prazos menores para negociação. Era o que alertava artigo de Lígia Ferreira para a Folha Política em maio passado:

Quando Lula assumiu o seu primeiro mandato em 2002, a dívida externa era de R$ 212 bilhões, enquanto a dívida interna era de R$ 640 bilhões. Ou seja, o total, dívida externa mais interna, chegou aos inacreditáveis R$ 852 bilhões. Em 2008, quando o Lula assumiu ter pago a dívida, a dívida externa caiu para zero, já a interna chegou a – pasme – R$ 1,4 trilhão. Total da dívida: R$ 1,4 trilhão – 65% do PIB do Brasil.
Contra fatos não há argumentos: Lula “pagou”, sim, a dívida externa. No entanto, nota-se que a dívida interna aumentou exorbitantemente. Na realidade, o Governo se endividou internamente para se quitar externamente. Diversos economistas alegam, ainda, que os novos acordos de endividamento interno seriam muito mais desvantajosos, tendo em vista o menor prazo e a maior incidência de juros.
Para o Brasil, pouca ou nenhuma diferença faz para quem deve, o fato é que a dívida não só continua como aumentou. É necessário ressaltar que apenas de juros para a dívida interna foram pagos, no mês, R$ 13 bilhões. A efeito de comparação, a verba destinada, naquele ano, para a educação foi de R$ 12,7 bilhões (média de 1,05 bilhão por mês).

Dívida pública também cresce proporcionalmente

Quem traz o alerta é o CenárioMT, em artigo de José Boas. A dívida pública vem crescendo mais que o dobro do PIB. Ao ponto de que, em mais uma década, superará este:

Para termos uma ideia do tamanho do problema, entre 2004 e 2013 o PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil cresceu em média 3,64% ao ano (hoje é de R$ 4,5 trilhões) e nossa dívida pública avançou no mesmo período, em média, 8,98% ao ano(atualmente em R$ 2,24 trilhões). Traduzindo em miúdos, a dívida pública brasileira já é do tamanho da metade daquilo que o país ganha todos os anos, e ela cresce 2,5 vezes mais rápido do que o nosso PIB. Isso quer dizer que, mantidos estes padrões, até 2027 (mais 13 anos) teremos uma dívida que superará a nossa receita anual.

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Roseana deveria poupar o Maranhão de um processo de impeachment e renunciar ao cargo de governadora

roseana_sarney_28Óleo de peroba – Dona de incompetência comprovada inúmeras vezes, Roseana Sarney deveria antecipar-se ao pedido de impeachment protocolado por advogados e renunciar ao mandato de governadora, poupando de mais um desgaste o estado que sua “famiglia” transformou na mais miserável unidade da federação. Vilipendiados em todos os seus direitos, os maranhenses não merecem continuar na condição de reféns de um grupo político que governa a partir dos próprios interesses.
A onda de violência que tomou conta dos presídios do Maranhão, em especial o Complexo Penitenciário de Pedrinhas, é algo sem precedentes, situação que traz a lume a forma estabanada como o estado é governado pelo clã liderado por José Sarney, o caudilho que instalou na terra do arroz de cuxá a versão verde-amarela do regime excludente do Apartheid.
Quem conhece minimamente o Maranhão sabe que o prazo de sessenta dias concedido pela Justiça para que Roseana Sarney e seus incompetentes assessores reformem e construam presídios no estado, como forma de atender à demanda crescente no sistema prisional, é mera formalidade, pois a governadora não fará em escassos dois meses aquilo que não conseguiu realizar em três anos.
A sociedade brasileira adotou o péssimo hábito de se acostumar com os desmandos dos governantes, sem que os mesmos sejam cobrados de maneira firme e intransigente. A carga tributária imposta aos contribuintes é criminosa, mas o Estado, como um todo, nem de longe dá a devida contrapartida.
No Brasil estabeleceu-se que os transgressores da lei devem ser não apenas punidos pela Justiça, mas sofrer agruras ao longo do cumprimento das penas. Situação que nem de longe consegue recuperar um condenado à privação da liberdade. Roseana Sarney sempre soube das péssimas condições dos presídios maranhenses, mas agora posa de indignada, como se a população desconhecesse o descaramento dos políticos dessa louca Terra de Macunaíma.
Em um país minimamente sério, com autoridades responsáveis e cumpridoras da lei, Roseana já estaria fora do governo e presa por violação dos direitos humanos. Isso só não acontece porque o Maranhão foi transformado em um feudo liderado pela “famiglia” da Praia do Calhau, o que faz com que toda a máquina estatal, não importando o Poder, esteja dominada por capatazes do senador José Sarney e seu grupo.
O mais bisonho nesse trágico enredo é que a ministra da Secretaria dos Direitos Humanos, Maria do Rosário Nunes, quem sempre está a postos para criticar qualquer violação cometida por seus adversários políticos, até agora se limitou a dizer que a governadora do Maranhão precisa resolver o problema. Um comportamento duvidoso para quem é adepta da gazeta. Enfim, assim caminha o Brasil, um país onde o “faz de conta”.

FONTE: UCHO.INFO

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Dilma endurece com o PMDB, que pode abandonar o barco e se juntar à oposição na corrida ao Planalto

michel_temer_28

Gasolina na fogueira – Não bastasse sua notória incompetência como presidente da República, a petista Dilma Vana Rousseff decidiu brincar com fogo em meio à sua antecipada campanha pela reeleição. Em conversa com o vice-presidente Michel Temer, que está licenciado da presidência do PMDB, Dilma rechaçou a possibilidade de dar ao partido mais uma pasta na reforma ministerial que deve ser concluída em março próximo. É sabido que Dilma não suporta Michel Temer, mas acabou “engolindo” o líder dos peemedebistas depois de uma intervenção de Lula.
O loteamento da Esplanada dos Ministérios foi a forma que o PT palaciano, à época do lobista Lula, encontrou para substituir o criminoso Mensalão, que garantia facilidades ao governo no Congresso Nacional por meio do pagamento de polpudas mesadas. Diante do escândalo, o núcleo duro do governo Lula decidiu entregar os ministérios aos partidos aliados, que ficaram responsáveis pelos escândalos patrocinados pelos indicados aos cargos. A estratégia é no mínimo condenável em termos éticos, mas vem dando resultados ao governo de Dilma Rousseff.
Inconformada com o jogo duro de Dilma, a direção do PMDB ressuscitou uma ideia que estava aparentemente sepultada: antecipar de junho para abril a convenção nacional que discutirá os rumos a serem tomados pelo partido na eleição presidencial. Esse movimento do PMDB está sendo interpretado como um preâmbulo de eventual desembarque da legenda do governo, o que provocaria um enorme estrago nos planos de Dilma.
A presidente da República sabe do fracasso do seu governo e por isso tenta neutralizar seus adversários na corrida presidencial atraindo o maior número de partidos para o seu projeto de reeleição. Ciente de que a participação do PMDB é fundamental, Dilma tentou amenizar a conversa com Michel Temer, que deixou o encontro sem estar convencido das alegações da presidente.
O clima é tenso e a cúpula do PMDB acionou todas as suas lideranças nacionais para um encontro, em Brasília, na noite de quarta-feira (15), quando será discutida a posição que o partido tomará diante da negativa de Dilma, que não acredita no desembarque da legenda.
Confirmada a saída do PMDB da chamada base aliada do governo, o partido dificilmente faria uma aliança eleitoral com Eduardo Campos (PSB-PE), candidato à Presidência da República. Isso porque o foco de resistência atende pelo nome de Marina Silva, que até agora pouco agregou ao projeto político do governador de Pernambuco. Marina é resistente a uma aproximação com o PMDB por considerar o partido fisiológico. Um acordo com o PSDB seria mais fácil, se confirmada a candidatura de Aécio Neves, que tem a história do avô, Tancredo Neves, como facilitador para um eventual acerto. A grande questão é saber se o PMDB de fato deixará de apoiar Dilma na corrida ao Palácio do Planalto.
Fonte: ucho.info

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

JOAQUIM BARBOSA PRETENDE MESMO DISPUTAR UM MANDATO

Joaquim_Barbosa_270812
FONTE: CLÁUDIO HUMBERTO/DIÁRIO DO PODER
Na recepção ao presidente francês François Hollande, que visitava Brasília, autoridades que dividiram a mesa com o presidente do Supremo Tribunal Federal saíram com a certeza de que Joaquim Barbosa é fascinado com a ideia de virar político.
Ele deixou claro, sem rodeios, que não sabe se um dia disputará o Palácio do Planalto, mas está louco para ser eleito senador ou governador, no Rio de Janeiro.
DATA MARCADA
Esta coluna já revelou que Joaquim Barbosa não ficará “um único dia” no STF após Ricardo Lewandowski assumir seu lugar, em março.
PRAZO É LEGAL
Após abandonar a magistratura, Joaquim Barbosa estará apto a disputar qualquer eleição, já em 2014. Prazo legal, ele terá.
BEM NA FOTO
O Instituto Paraná Pesquisas apurou em dezembro que Joaquim Barbosa está empatado em 2º com Aécio Neves, nas presidenciais.

ENTENDENDO O 9 DE JULHO

ENTENDENDO O 9 DE JULHO por Ivan César Belentani Capitão da Polícia Militar do Estado de São Paulo. O dia 9 de julho se tornou feriado n...