segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Resolvendo a saúde pública por ilusionismo


Dilma-mais-medicosEsse povo é muito cínico! Sabendo pelas últimas pesquisas que a maior desaprovação da população é com a saúde, Dilma escreve hoje no twitter que os Mais Médicos estão resolvendo o problema na saúde.Segundo ela, 6,5 mil médicos já estão resolvendo a saúde básica de 23 milhões de pessoas. Logo serão 45 milhões com os 13 mil médicos convocados.São uns ilusionistas, e é provável que consigam convencer muitos eleitores.Cabe a cada médico, em cada canto do Brasil – sobretudo os paulistas, onde acredito que será decidido a próxima eleição – trabalhar contra essa mentira e esclarecendo a população. Eles tem o poder sobre isso, e devem exercê-lo.Sem compromissos oficiais, Dilma exalta Mais Médicos no Twitter – ValorPor Vandson Lima
Outrora ausente das redes sociais — sua página na rede de microblogs Twitter ficou inativa por quase três anos, desde a eleição de 2010, e só voltou a receber postagens há pouco mais de dois meses — a presidente Dilma Rousseff parece agora disposta a investir na interação diária com potenciais eleitores via web.
Sem compromissos oficiais neste domingo, Dilma, que completou no sábado 66 anos e está com a família em Porto Alegre (RS), usou de sua página no Twitter para ressaltar resultados alcançados pelo programa Mais Médicos, de iniciativa do governo federal. “#MaisMédicos estão chegando nas cidades do interior e periferia. A partir dessa semana serão 6.500, o que significa cobertura p/ 23 milhões. Ou seja: 23 milhões de brasileiros terão acesso ao atendimento básico de saúde graças ao #MaisMédicos. E se precisar, abriremos mais vagas”, escreveu a presidente em uma sequência de mensagens. “Mas não vamos parar: até abril serão 13 mil por todo o país, permitindo que 45 milhões de brasileiros possam receber atendimento. Porque governar é compreender as prioridades da população, é colocar o Estado a serviço dos que mais precisam”, completou a presidente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anônimos não serão publicados