segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

RELEMBRANDO - Escândalo no Trabalho



Reportagem de VEJA publicada em novembro de 2011 trouxe à tona o primeiro de uma série de escândalos que culminariam na queda do então ministro do Trabalho, Carlos Lupi: caciques do PDT comandados por Lupi transformaram os órgãos de controle da pasta em instrumento de extorsão. O grupo agia em duas frentes. Numa delas, extorquia ONGs às voltas com irregularidades na execução dos contratos e que, por isso mesmo, ficavam sem receber dinheiro da União. Na outra, fazia vista grossa a malfeitorias cometidas por ONGs amigas.

Frases 
  • Por ele, ponho os pés e as mãos no fogo. Nós nos conhecemos há 25 anos. Sou seu padrinho de casamento.Ministro Carlos Lupi, ao defender, no início do mês, seu ex-assessor e também tesoureiro do PDT Marcelo Panella, acusado de cobrar propina de ONGs e também de sindicatos
  • Aquilo é uma bagunça, tem uma série de problemas. Se o ministro tivesse um mínimo de instrução e qualificação, não passaríamos isso que estamos passando no ministério.Adair Meira, da ONG Pró-Cerrado, avaliando o desempenho do ministro do Trabalho.
  • Eu não tenho relação nenhuma, absolutamente nenhuma, com o - como é o nome? - seu Adair (Meira)Carlos Lupi, mentindo sobre sua relação com o dirigente de ONG
  • Eu só quero saber do que sou acusadoMinistro Carlos Lupi, em depoimento ao Congresso
  • Eu disse que não tenho nenhuma relação [com Adair Meira]. Não disse que não o conheçoLupi, mudando o discurso após ser pego na mentira
  • Dilma, eu te amoCarlos Lupi, numa tentativa de desculpar-se com a presidente
  • Não sou uma românticaResposta da presidente Dilma Rousseff às declarações de Lupi

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anônimos não serão publicados