segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Cientistas argentinos homenageiam os Kirchner ao batizar nova espécie de roedor

Pesquisadores argentinos identificaram na sulina província de Chubut uma nova espécie de mamífero, um roedor que foi denominado 'Tympanoctomys Kirchnerorum' em homenagem ao falecido ex-presidente Néstor Kirchner e à sua esposa, a presidente Cristina Kirchner

Pesquisadores argentinos identificaram na sulina província de Chubut uma nova espécie de mamífero, um roedor que foi denominado 'Tympanoctomys Kirchnerorum' em homenagem ao falecido ex-presidente Néstor Kirchner e à sua esposa, a presidente Cristina Kirchner  (Presidencia/AFP e Ulyses F.J. Pardina/Cenpat Conicet )
Pesquisadores argentinos identificaram na província de Chubut, no sul do país, uma nova espécie de mamífero — um roedor que foi denominado Tympanoctomys kirchnerorum em homenagem ao ex-presidente Néston Kirchner (1950-2010) e à sua mulher e sucessora, a atual presidente Cristina Kirchner.
O rato foi identificado por cientistas e veterinários do Centro Nacional Patagônico (Cenpat) na cidade de Los Adobes, no planalto central de Chubut. 'A espécie foi detectada em 2005. Mas durante muito tempo pensamos tratar-se de um animal mais comum, amplamente encontrado em outras zonas do país", disse Ulyses Pardiñas, um dos pesquisadores, em reportagem publicada no portal do Governo argentino.
Os governos de Néstor e Cristina Kirchner foram marcados por diversos escândalos de corrupção, alguns deles apontando diretamente para os mandatários. Em entrevista concedida a VEJA no começo deste mês, o mais célebre apresentador da televisão argentina, o jornalista Jorge Lanata, afirmou que o grupo do casal Kirchner levou a corrupção a um novo plano estrutural: "Se uma companhia quer vencer um leilão para construir uma ponte, eles concedem. No entanto, passam a cobrar 10% do lucro corporativo daquele momento em diante."
Ao menos alegadamente, contudo, o novo roedor foi batizado em referência aos Kirchner por causa das políticas de promoção da ciência adotadas nos governos de ambos. "Os governos de ambos presidentes se caracterizaram por uma política de promoção da ciência e, sobretudo, pela criação de um Ministério de Ciência, Tecnologia em Inovação Produtiva', diz Pablo Teta, outro integrante do grupo de pesquisa.
Tympanoctomys kirchnerorum desenvolveu características que seriam úteis a qualquer político. "Os indivíduos têm um grande ouvido, para detectar predadores", explicam os especialistas argentinos. 
Outros traços se devem ao fato de viverem num hatitat onde o clima é extremo e o alimento escasso. Os roedores vivem em tocas complexas, com diversos níveis, o que ajuda a modular as acentuadas variações de temperatura. Além disso, se alimentam de plantas que têm um alto conteúdo de sal. "Eles descascam as folhas das plantas que consomem com alguns pelos que têm antes dos dentes", dizem os pesquisadores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anônimos não serão publicados