quinta-feira, 28 de novembro de 2013

STF tem 834 ações contra políticos acusados de corrupção


 

VAMOS TRANSFORMAR AS CÂMARAS E O SENADO EM PRESÍDIOS
Em 36% dos casos que têm réus de foro privilegiado existem indícios de crimes como lavagem de dinheiro, desvio de recursos, falsidade ideológica e até homicídioA prisão de condenados do mensalão chama a atenção para outras 834 ações ou inquéritos contra políticos que tramitam no Supremo Tribunal Federal. Em 36% dos casos existem indícios fortes de crimes como lavagem de dinheiro, desvio de recursos, falsidade ideológica e até homicídio.
Desde a Constituição de 1988, quando passou a ser foro privilegiado de autoridades, o STF pôs na cadeia dois deputados com mandato - Natan Donadon, que era filiado ao PMDB de Rondônia, acusado de desviar dinheiro da Assembleia Legislativa do Estado, e o deputado licenciado José Genoino (PT-SP).Os deputados Valdemar Costa Neto (PR-SP) e Pedro Henry (PP-MT), que, como Genoino, foram condenados no escândalo do mensalão, aguardam em casa uma decisão do ministro Joaquim Barbosa, relator da ação penal e presidente do Supremo. Os mandados contra Costa Neto e Henry podem ser expedidos ainda nesta semana.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anônimos não serão publicados