quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Mensalão - E não era dia de visitas, QUANTO PRIVILÉGIO!

Deputados petistas visitam Genoino e Dirceu na prisão


Parlamentares, que pretendem repetir o encontro durante toda a semana, saíram em uma van da Câmara para encontrar os condenados no CIR, em Brasília. No plenário da Câmara, Joaquim Barbosa foi alvo de críticas


Gustavo Lima/Câmara dos Deputados
Em plenário, líder do PT discursa e é observado pelos colegas da Câmara
Um grupo de nove deputados petistas organizou nesta terça-feira (19) uma visita ao ex-presidente nacional do PT José Genoino, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu e o ex-tesoureiro do partido Delúbio Soares no Centro de Internamento e Reeducação (CIR), em Brasília. A ideia dos petistas é que toda a bancada se encontre com os três, presos desde sexta-feira (15) por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF) dentro do procesos do mensalão.
Na primeira visita, estavam presentes os deputados Paulo Teixeira (PT-SP), Sibá Machado (PT-AC) e Benedita da Silva (PT-RJ), entre outros. A excursão foi ideia do deputado Policarpo (DF), recém reeleito presidente do partido no Distrito Federal. Mais cedo, petistas como Erika Kokay (DF) e Eduardo Suplicy (SP) também se encontraram com os petistas presos dentro do processo do mensalão.
De acordo com Sibá Machado, a situação de Genoino é preocupante. O petista relatou que o deputado licenciado teve diarréia com início de desidratação hoje, está a voz com ruim e teria escarrado sangue. “O quadro clínico do deputado Genoino merece muitos cuidados. A nossa preocupação é com o tratamento médico que vem sendo dado”, afirmou.
Ele pediu que o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), tome providências sobre o caso e que a Casa intervenha no processo para garantir o atendimento médico necessário a Genoino. “Será que o supremo quer ver a morte do Genoino naquela cela”, questionou. Ele lembrou que, até o momento, a Mesa Diretora ainda não foi notificada do trânsito em julgado do caso pelo STF.
Discursos
Durante toda a tarde de hoje, deputados se revezaram na tribuna em ato de desagravo aos três petistas presos. Em especial, Genoino. Líder do PT, José Guimarães (CE) fez um discurso emocionado ao falar do irmão, das prisões e do processo do mensalão, defendeu o partido – “o PT não é um partido corrupto” – criticou o Ministério Público, o STF e a imprensa. “[Genoino] Não merece estar onde está, senhor presidente!”, esbravejou.
“Querem talvez colocar o PT na ilegalidade, como fizeram em 2005, mas nós não aceitaremos, porque nossas raízes são raízes fundadas na luta, nas cadeias, nas prisões. Não estamos aqui para fazer negócio ou negociatas, nem fizemos negociatas à época do governo Lula, como eu ouvi um ex-Presidente da República dizer que o PT fez negociatas em 2005. Quem fez negociatas não foi o PT. Quem fez negociatas aqui dentro foi o PSDB, quando comprou a reeleição do Sr. Fernando Henrique Cardoso, na disputa passada”, disparou.
Ele não foi único com críticas contundentes. Jesus Rodrigues (PT-PI) foi contra as recentes decisões do relator do mensalão, Joaquim Barbosa. “Qualquer coisa que acontecer com Genoino será responsabilidade de Joaquim Barbosa”. Já Afonso Florence (PT-BA) acrescentou: “A falta de serinidade do relator pode levar a consequências muito danosas”.
Ex-presidente do PT entre 2005 e 2010, Ricardo Berzoini (PT-SP) disse que o partido não vai “abaixar a cabeça” ao que qualificou como uma “prática que desonra o Judiciário”. Para ele, Joaquim mostrou sua “má intenção” ao decretar a prisão de 12 condenados na sexta-feira, feriado da Proclamação da República. “Confessou a sua intenção nefasta e inconstitucional, a sua intenção desonesta com esse processo. O ministro Joaquim Barbosa desonra o Poder Judiciário brasileiro ao agir fora da impessoalidade”, disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anônimos não serão publicados