quarta-feira, 9 de novembro de 2011

USP - Constrangimento

Lamentável a situação que nós, a maioria dos estudantes da FFLCH, tivemos de passar ontem ao tentarmos exercer nosso direito de estudar, pois havia um grupo de alunos do Centro Acadêmico de Estudos Linguísticos e Literários na Faculdade de Letras que impediu a entrada nas salas. O curioso é que não havia ninguém para impedi-los de tal delito, revoltante, por sinal. Assim perderam a razão, já que criticam os que, segundo eles, inibem seus direitos e, ao mesmo tempo, também roubam nosso direito de ser contra tal manifestação. É essa a democracia exercida por uma minoria que impõe pela violência sua opinião. A única coisa que nos resta é lamentar, pela incompetência de ambas as partes envolvidas: alunos que, pela ignorância, querem impor suas ideias, sem respeitar a decisão da maioria na assembleia da véspera, e policiais que só sabem fazer show diante da mídia. Se a PM fosse mesmo profissional, nosso país seria exemplo de segurança. Sim, é preciso a atuação da PM, mas isso não basta. Se a Reitoria estivesse interessada de fato em melhorar a segurança no câmpus Butantã, apresentaria um plano de desenvolvimento desse setor a longo prazo. As soluções são conhecidas por todos, como mais iluminação, aumento do número dos ônibus circulares, colocar a PM em locais estratégicos, que, todos sabem, são visados pelos marginais. São apenas alguns pontos que devem ser melhorados. Devem-se evitar as medidas arbitrárias desses alunos, que quando coagidos impedem a entrada na faculdade dos que querem apenas exercer seu papel de estudantes. É o desabafo de mais uma dos muitos alunos prejudicados pelos equívocos uspianos. O pior é que a diretoria divulgou que as aulas não foram canceladas!

DEBORAH A. GARBEZ GOMES
Santo André

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anônimos não serão publicados