sexta-feira, 1 de abril de 2011

Autores da Lei da Ficha Limpa cobram reforma

Depois do projeto de lei da Ficha Limpa, os integrantes do Movimento de Combate à Corrupção começam a se preparar para recolher assinaturas para propostas de reforma política. O movimento defende a financiamento público de campanhas eleitorais, o voto em lista fechada, proíbe as coligações e, em seu lugar, defende a criação de federações partidárias, além, de propor a ampliação de referendo e plebiscitos para a consulta a sociedade sobre temas polêmicos, como aumento dos salários e benefícios dos parlamentares, ministros; presidente da República e dos juízes do Supremo Tribunal Federal (STF). As propostas de reforma políticas foram apresentadas ontem pelos integrantes do movimento. O financiamento público exclusivo das campanhas eleitorais é um dos principais pontos da plataforma dos integrantes da associação de combate à corrupção eleitoral. "Doações de pessoas físicas e empresas são proibidas e sujeitas a punição tanto para o partido que receber como quem doar", diz uma versão preliminar do projeto de lei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anônimos não serão publicados