terça-feira, 12 de outubro de 2010

Erenice Guerra e o Tráfico de influência


Erenice vai depor na PF

A ex-ministra da Casa Civil Erenice Guerra vai depor na Polícia Federal (PF), no inquérito em que seus dois filhos são investigados por suspeita de advocacia administrativa e tráfico de influência no órgão em que ela chefiava.
Correio Braziliense

A decisão foi tomada após a PF ouvir 15 pessoas e ter recolhido uma série de contratos e documentos encaminhados pelos Correios, pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Mesmo sem os depoimentos de Israel e Saulo Guerra, filhos da ex-ministra, a apuração do caso avançou, segundo fontes da corporação. O próximo passo será examinar os computadores da Casa Civil que estavam sendo usados por alguns dos envolvidos.
Das 15 pessoas intimadas pela Polícia Federal, quatro optaram pelo silêncio: os dois filhos de Erenice, Vinícius de Oliveira Castro - ex-assessor da Casa Civil - e sua mãe, Sônia Castro, sócia de uma empresa de Saulo Guerra. Com exceção da mulher, os outros três são considerados os principais suspeitos no esquema que supostamente foi armado no órgão. Porém isso não vai atrapalhar o andamento da apuração, já que os investigadores se debruçaram em uma série de documentos recolhidos e deverá ser pedido à Justiça a quebra de sigilo dos extratos telefônicos dos dois irmãos e de Vinícius Castro para comprovar se houve troca de ligações entre eles em determinados períodos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anônimos não serão publicados