quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Cândido Vaccarezza - O homenzinho do Lulla

Olhem bem a cara do homenzinho!

Este homenzinho que hoje pede nosso voto é o lider do PT na câmara.
É o mesmo homenzinho que em 2009 foi contra o reajuste de 7% para os aposentados.
É o mesmo homenzinho que em 2009 foi lutou com todas as forças para que o Ficha Limpa não fosse aprovado.
Vamos jogar este homenzinho na lata do lixo.
Porque se for eleito vai representar somente os seus próprios interesses, esquecendo aqueles que o elegeram.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Pôncio Pilatos, ministro do STF

"Pôncio Pilatos deu origem ao conhecido 'lavar as mãos', cerimônia por meio da qual uma pessoa ou autoridade se omite de pronunciar julgamento sob sua responsabilidade"
Edson Freitas de Siqueira*
Como todos sabemos, Pôncio Pilatos emprestou à civilização humana o registro de um de seus episódios mais marcantes, o qual é lembrado com repúdio, quando ligado à crucificação de Jesus, ou como arquétipo, por ter dado origem à “concepção anti-ética” do conhecido “lavar as mãos”, cerimônia por meio da qual uma pessoa ou autoridade se omite de pronunciar julgamento sob sua responsabilidade quando chamado a decidir sobre alguma coisa ou pessoa, no propósito exclusivo de transferir para terceiros a obrigação “moral”ou “legal” que lhe cabia.
Pilatos, prefeito da província da Judéia, entre os anos 26 e 36 d.c., se notabilizou por ter sido a autoridade do Império Romano que, ao invés de julgar o mais importante caso da humanidade contemporânea, preferiu omitir-se de fazê-lo, provocando, com esta omissão, a morte de “Jesus”.
A tragédia que envolve a morte de Cristo e o próprio Pilatos, portanto, serão eternamente lembrados por vários aspectos: Primeiro, porque a crucificação foi resultado da omissão de Pilatos que, mesmo já sabendo dos feitos de Jesus e que ele se apresentava como filho de Deus, preferiu “lavar as mãos”, transferindo ao povo local o direito de escolher entre a morte de Jesus (que, entre os comuns, era uma pessoa simples, recém-chegado da Judéia) e de um ladrão, a quem todos conheciam e guardavam simpatia; Segundo, porque “Pilatos” conseguiu a “proeza” de julgar sem julgar ou, mais comumente falando, inventou “o lavar as mãos”, manipulando o resultado do julgamento por meio da estratégia de transferir sua responsabilidade para a emoção “irracional das massas”, quando era necessário agradar ao Imperador, cujo poder diziam estar ameaçado pela existência de Cristo; Terceiro, porque o episódio passou a ser a prova concreta de que, de igual forma, a história e o tempo não perdoam e não esquecem os ditadores, os inescrupulosos e os assassinos; Quarto, e sob o ponto de vista certamente mais importante, porque a conjunção da existência de “Pilatos”, da “crucificação” e do “Lavar as Mãos”, resultaram na morte do filho de Deus.
Por estas razões, face deste brilhante curriculum de Pôncio Pilatos, no dia 23 de setembro de 2010, o homem ou o seu comportamento, na prática, sofreram uma espécie surpreendente de indicação para preencher a vaga de ministro no Supremo Tribunal Federal, criada com a aposentadoria do Ministro Eros Grau. Assim, presume-se porque, durante o julgamento que aconteceu no STF, nos dias 23 e 24 de setembro, a decisão serviu para enaltecer – ad memorium - o prefeito da Judéia. Afinal, a mais alta corte do Brasil conseguiu a proeza de julgar sem julgar a Lei que pretende introduzir no Brasil a proibição de concorrerem às eleições os políticos com condenações criminais.
Este momento de Pilatos na história do STF ou da pseudo-democracia brasileira aconteceu como consequência do fato de nosso mais elevado Tribunal estar com sua composição incompleta. O STF, que deve ter 11 Ministros, número ímpar que evita o empate, circunstância que caracteriza “julgar sem julgar”, hoje conta somente com 10 ministros, número que permite que aconteça o indesejado empate.
A falta do 11º ministro acontece exatamente porque o atual presidente da República, há algum tempo, não se sabe se de propósito, ou porque está muito ocupado durante este período eleitoral, ainda não indicou o novo Ministro do STF para substituir o colega que se aposentou recentemente. Entretanto, esses fatos não podem ser utilizados para dizer que o nosso presidente possa ser ou queira comparar-se com o imperador romano que designou Pilatos à prefeitura da Judéia. Tudo é uma mera coincidência!
Por essa razão, o resultado do julgamento do STF, anunciado na quinta-feira passada, dia 23/09, que tratava sobre a constitucionalidade ou não da Lei que implanta a política do “Ficha Limpa”, ficou empatado em cinco votos a favor da ética política e cinco votos contra a ética, representando um verdadeiro “lavar as mãos”, até porque a maior parte dos votos dos ministros já se sabia o conteúdo, uma vez que o tema tinha sido julgado no TSE, que é composto pelos próprios Ministros do STF.
Contudo, houve um voto de minerva. Não do presidente do STF, que abriu mão de sua obrigação de proferir o voto de desempate, alegando que o presidente do STF, contrariamente ao Regimento Interno da Casa, não é diferente dos demais ministros, em que pese só ele possa assumir a vaga de Presidente da República, quando ausentes, simultaneamente, o próprio Presidente da República e o Presidente da Câmara de Deputados Federais. Coube ao memorável ministro Marco Aurélio Mello, em seu voto, citar que todos deveriam chamar para desempatar a votação aquele que ainda não tinha indicado o 11° ministro do STF, embora isso seja de sua competência, neste importante momento da história política brasileira.
A partir dessa enorme confusão e desrespeito à vontade democrática da população, fica a seguinte pergunta: o ministro Marco Aurélio, quando votou daquela maneira, estava chamando Pôncio Pilatos ao plenário, ou ele pensava no Imperador de Roma, ou alguém mais próximo de nós?
Não importa, afinal de contas, é tarde. O povo brasileiro, embora já tenha ressuscitado das cinzas de vários escândalos políticos, entre eles, a ditadura, a cassação de Collor e o mensalão, dessa vez está morto e crucificado no seu propósito de “limpar” a política nesta eleição de 2010.

Este país é uma piada de TIRIRICA - Temos candidatos Ex-presos. Acredita?

Ex-presa - Wilma Magalhães (PTB). Concorre a uma vaga de deputada distrital no Distrito Federal. Wilma passou seis meses presa em um presídio em Brasília, acusada de evasão de divisas, após ser condenada em primeira instância.

Ex-preso - Carlos Magno (PP). Concorre a vaga de deputado federal em Rondônia. Foi um dos presos da Operação Dominó, da Polícia Federal, em 2006, que desbaratou um esquema de desvio de recursos públicos da Assembleia Legislativa de Rondônia.

Ex-preso - Ney Santos (PSC). Disputa vaga à Câmara por São Paulo. Esteve preso entre 2003 e 2005 por roubo. O ex-detento é acusado de usar postos de gasolina, uma empresa de factoring e uma ONG para lavar dinheiro. Também é acusado de ter ligação com a principal facção criminosa de São Paulo, o Primeiro Comando da Capital (PCC). Na semana passada, ele conseguiu um habeas corpus na Justiça que revogou o pedido de prisão temporária expedido contra ele no último dia 17. Operação da Polícia Civil contra o candidato indica que ele movimenta R$ 6 milhões por mês com uma rede de 15 postos de combustíveis. Desde que deixou a prisão, segundo a polícia, ele acumulou patrimônio de R$ 100 milhões. Os bens do candidato estão bloqueados pela Justiça.
Fonte: Congresso em Foco

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Candidatos Paulistas - Evolução patrimonial acima de 250% - saiba quem são:




Candidatos com evolução de bens acima de 250% no período de 2006 à 2010, indicado também se possui ocorrência na justiça e no Tribunal de Contas.


Apelido

Concorre a

Evol. bens

Ocorrências na

2006-2010

Justiça e T. Contas

João Barbosa (Assembleia Legislativa DEM)

Dep.Est.

2163,30%

Mauro Bragato (Assembleia Legislativa PSDB)

Dep.Est.

1908,30%

Sim

Francisco Rossi (Câmara dos Deputados PMDB)

Dep.Fed.

1138,30%

Sim

Vadão Gomes (Câmara dos Deputados PP)

Dep.Fed.

909,50%

Sim

Vanessa Damo (Assembleia Legislativa PMDB)

Dep.Est.

551,80%

Abelardo Camarinha (Câmara dos Deputados PSB)

Dep.Fed.

521,40%

Sim

Waldir Agnello (Assembleia Legislativa PTB)

Dep.Est.

518,40%

Lelis Trajano (Assembleia Legislativa PSC)

Dep.Est.

459,00%

Ricardo Tripoli (Câmara dos Deputados PSDB)

Dep.Fed.

442,10%

Otoniel Lima (Assembleia Legislativa PRB)

Dep.Fed.

425,70%

Sim

Simão Pedro (Assembleia Legislativa PT)

Dep.Est.

420,60%

Fernando Capez (Assembleia Legislativa PSDB)

Dep.Est.

346,60%

Carlos Giannazi (Assembleia Legislativa PSOL)

Dep.Est.

343,00%

Olímpio Gomes (Assembleia Legislativa PDT)

Dep.Est.

336,60%

Sim

Vaz de Lima (Assembleia Legislativa PSDB)

Dep.Fed.

303,30%

Carlinhos Almeida (Assembleia Legislativa PT)

Dep.Fed.

274,70%

Maria Lúcia Amary (Assembleia Legislativa PSDB)

Dep.Est.

261,30%

Vinícius Camarinha (Assembleia Legislativa PSB)

Dep.Est.

250,90%

Sim


Clique no nome do candidato para mais detalhes.
Fonte: Transparência Brasil

Tiririca admite em programa que não sabe ler

Fábio Góis
O palhaço Tiririca, candidato a uma vaga de deputado federal pelo PR de São Paulo, pode ser impedido, nos próximos dias, de disputar as eleições de outubro – a despeito da possibilidade de ser o mais votado, com estimativa de 900 mil votos. Famoso pela música “Florentina” – na verdade, uma sátira musical que ganhou as paradas populares de rádio e TV –, Tiririca admitiu ao programa Domingo Legal, do SBT, que não sabe ler nem escrever. A Justiça Eleitoral exige comprovante de escolaridade para registro de candidatura.

Na tentativa de atender à legislação eleitoral, Tiririca apresentou ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de São Paulo um documento informando saber ler e escrever. Acontece que a Justiça Eleitoral exige que o candidato o faça em declaração escrita de próprio punho, ou realize teste presencial comprovando a habilidade. Nem uma coisa nem outra foi feita pelo candidato.

Tiririca admitiu o analfabetismo à produção do programa em julho deste ano, quando foi convidado a ter um quadro fixo na atração. O papel do humorista se resumiria a contar piadas ao telespectador – em textos elaborados por um redator que teria a incumbência de repeti-los até que Tiririca os decorasse.

Segundo informações do colunista do UOL Ricardo Feltrin, o humorista se mostrou preocupado com o procedimento de apresentação de seu quadro, repetiu diversas vezes que era analfabeto e quis saber se teria de “decorar alguma coisa, porque vocês sabem que eu não sei ler e nem escrever”. Um produtor perguntou se ele não queria aprender, e ele respondeu que não levava jeito algum para a coisa.

Capa de revista

Em sua mais recente edição, a revista Época trouxe em sua capa uma foto de Tiririca e sua espécie de boina, com o título “Tiririca, a cara do novo Congresso”. A reportagem relata alguns indícios do analfabetismo do humorista, que atualmente é contratado pela TV Record.

Renan e Dep. Castelão merecem sua atenção "muito especial"

Atenção Mineiros e Alagoanos estes dois merecem sua atenção especial nas próximas eleições:

Jose Cruz/Fabio Pozzebom ABr



Renan Calheiros e Edmar Moreira entram na lista dos candidatos que merecem a sua atenção por terem tido contra si relatórios no Conselho de Ética que pediam a cassação de seus mandatos

322 candidatos que exigem muita, muita atenção

Eles tiveram suas candidaturas indeferidas com base na Lei da Ficha Limpa, foram denunciados por participação no caso dos sanguessugas, são réus em ações penais ou foram presos em ações policiais. Vale a pena votar neles? Só você pode responder

Sinal amarelo: com base em critérios objetivos, identificamos 322 candidatos com os quais você deve ter especial atenção antes de decidir votar

Congresso em Foco

Estamos de amarelo desde a última sexta-feira (24) por acreditar que há certas coisas, nestas eleições, que merecem grande atenção. E atenção agora, já. Afinal, daqui a alguns dias a eleição terá passado, não oferecendo para os cargos legislativos em disputa (senadores e deputados) sequer a possibilidade de um segundo turno.

A principal dessas coisas talvez seja esta aqui: a lista dos candidatos que foram barrados pela Lei da Ficha Limpa, são réus em ações penais, foram denunciados à Justiça como integrantes do esquema dos sanguessugas ou presos em ações das polícias Civil e Federal.

São 322 nomes, distribuídos por 25 estados (todos, com exceção do Rio Grande do Norte) e pelo Distrito Federal. Muitos brigam por uma cadeira no Parlamento federal ou estadual, importantíssima trincheira do combate eleitoral para a qual muitos eleitores ainda dão pouca importância. Outros são candidatos a governador. Nenhum dos postulantes à Presidência da República se enquadra nos critérios acima citados, que serviram de parâmetro para chegarmos à presente lista.

Lista esta que, sabemos bem, pode ser aprimorada. Agradecemos a quem puder contribuir com informações ou sugestões nesse sentido, e desde já nos colocamos à disposição para recebê-las. Basta escrever para redacao@congressoemfoco.com.br. O mesmo endereço vale para os candidatos que tenham quaisquer esclarecimentos a dar.

Veja quem são os candidatos que merecem sinal amarelo, estado por estado:

Acre

Alagoas

Amapá

Amazonas

Bahia

Ceará

Distrito Federal

Espírito Santo

Goiás

Maranhão

Mato Grosso

Mato Grosso do Sul

Minas Gerais

Pará

Paraíba

Paraná

Pernambuco

Piauí

Rio de Janeiro

Rio Grande do Sul

Rondônia

Roraima

Santa Catarina

São Paulo

Sergipe

Tocantins

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Pedido de Pastor - Vamos escolher melhor

Indio mete a boca no trombone! Mas quem vai eleger a Dilma é semi-analfabeto!

Candidatos Paulistas com processos na Justiça e/ou Trib. de Contas


Veja se seu candidato esta na lista:

Apelido

Concorre a

Romeu Tuma (Senado Federal PTB)

Senador

Agnaldo Timóteo (Câmara Municipal de São Paulo PR)

Dep.Fed.

Francisco Chagas (Câmara Municipal de São Paulo PT)

Dep.Fed.

Gabriel Chalita (Câmara Municipal de São Paulo PSB)

Dep.Fed.

Feliciano Filho (Assembleia Legislativa PV)

Dep.Est.

Alfredinho (Câmara Municipal de São Paulo PTC)

Dep.Est.

Dalton Silvano (Câmara Municipal de São Paulo PSDB)

Dep.Est.

Ricardo Teixeira (Câmara Municipal de São Paulo PSDB)

Dep.Est.

Mauro Bragato (Assembleia Legislativa PSDB)

Dep.Est.

Francisco Rossi (Câmara dos Deputados PMDB)

Dep.Fed.

Vadão Gomes (Câmara dos Deputados PP)

Dep.Fed.

Abelardo Camarinha (Câmara dos Deputados PSB)

Dep.Fed.

Otoniel Lima (Assembleia Legislativa PRB)

Dep.Fed.

Olímpio Gomes (Assembleia Legislativa PDT)

Dep.Est.

Vinícius Camarinha (Assembleia Legislativa PSB)

Dep.Est.

Raul Marcelo (Assembleia Legislativa PSOL)

Dep.Est.

José Cândido (Assembleia Legislativa PT)

Dep.Est.

Aldo Demarchi (Assembleia Legislativa DEM)

Dep.Est.

José Bittencourt (Assembleia Legislativa PDT)

Dep.Est.

Marcos Martins (Assembleia Legislativa PT)

Dep.Est.

Ana do Carmo (Assembleia Legislativa PT)

Dep.Est.

Samuel Moreira (Assembleia Legislativa PSDB)

Dep.Est.

José Augusto (Assembleia Legislativa PSDB)

Dep.Est.

Antonio Carlos Pannunzio (Câmara dos Deputados PSDB)

Dep.Fed.

Paulo Pereira da Silva (Câmara dos Deputados PDT)

Dep.Fed.

Roberto Felício (Assembleia Legislativa PT)

Dep.Est.

Luis Carlos Gondim (Assembleia Legislativa PPS)

Dep.Est.

Estevam Galvão de Oliveira (Assembleia Legislativa DEM)

Dep.Est.

Emanuel Fernandes (Câmara dos Deputados PSDB)

Dep.Fed.

Edmir Chedid (Assembleia Legislativa DEM)

Dep.Est.

Uebe Rezeck (Assembleia Legislativa PMDB)

Dep.Est.

Julio Semeghini (Câmara dos Deputados PSDB)

Dep.Fed.

Regis de Oliveira (Câmara dos Deputados PSC)

Dep.Fed.

Beth Sahão (Assembleia Legislativa PT)

Dep.Est.

Beto Mansur (Câmara dos Deputados PP)

Dep.Fed.

Luciano Batista (Assembleia Legislativa PSB)

Dep.Est.

Jefferson Campos (Câmara dos Deputados PSB)

Dep.Fed.

Celso Giglio (Assembleia Legislativa PSDB)

Dep.Est.

Aline Corrêa (Câmara dos Deputados PP)

Dep.Fed.

Renato Amary (Câmara dos Deputados PSDB)

Dep.Fed.

Ed Thomas (Assembleia Legislativa PSB)

Dep.Est.

Ricardo Montoro (Assembleia Legislativa PSDB)

Dep.Fed.

Luiza Erundina (Câmara dos Deputados PSB)

Dep.Fed.

João Caramez (Assembleia Legislativa PSDB)

Dep.Est.

Antonio Carlos Mendes Thame (Câmara dos Deputados PSDB)

Dep.Fed.

Silvio Torres (Câmara dos Deputados PSDB)

Dep.Fed.

José Genoíno (Câmara dos Deputados PT)

Dep.Fed.

Celso Russomanno (Câmara dos Deputados PP)

Gov.

Adriano Diogo (Assembleia Legislativa PT)

Dep.Est.

Paulo Maluf (Câmara dos Deputados PP)

Dep.Fed.

Hamilton Pereira (Assembleia Legislativa PT)

Dep.Est.

Michel Temer (Câmara dos Deputados PMDB)

Vice-pres.

Guilherme Campos (Câmara dos Deputados DEM)

Dep.Fed.

Jooji Hato (Câmara Municipal de São Paulo PMDB)

Dep.Est.

Márcio França (Câmara dos Deputados PSB)

Dep.Fed.

Valdemar Costa Neto (Câmara dos Deputados PR)

Dep.Fed.

Davi Zaia (Assembleia Legislativa PPS)

Dep.Est.

Gil Arantes (Assembleia Legislativa DEM)

Dep.Est.

Roberto Massafera (Assembleia Legislativa PSDB)

Dep.Est.

João Paulo Cunha (Câmara dos Deputados PT)

Dep.Fed.

Carlos Sampaio (Câmara dos Deputados PSDB)

Dep.Fed.

José Mentor (Câmara dos Deputados PT)

Dep.Fed.

Geraldo Vinholi (Assembleia Legislativa PSDB)

Dep.Est.

Antonio Bulhões (Câmara dos Deputados PRB)

Dep.Fed.

Dr. Talmir (Câmara dos Deputados PV)

Dep.Fed.

Bispo Gê Tenuta (Câmara dos Deputados DEM)

Dep.Fed.

José Paulo Tóffano (Câmara dos Deputados PV)

Dep.Fed.

Barros Munhoz (Assembleia Legislativa PSDB)

Dep.Est.

Marco Porta (Assembleia Legislativa PSB)

Dep.Est.

Clique no nome do candidato par obter mais informações.
Fonte: Transparência Brasil

ENTENDENDO O 9 DE JULHO

ENTENDENDO O 9 DE JULHO por Ivan César Belentani Capitão da Polícia Militar do Estado de São Paulo. O dia 9 de julho se tornou feriado n...