sexta-feira, 7 de maio de 2010

Vamos mudar o final, oras

Qual é a melhor atitude a ser tomada mediante aos nauseantes políticos nossos de cada dia, que estão até o teto envolvidos em processos?



Refiro-me, diretamente, a Paulo Maluf, José Roberto Arruda, Ângela Guadagnin - a da dancinha, lembra-se? -, José Dirceu, Antônio Palocci, Edmar Moreira - o do castelo, lembra-se? -, José Genoino, João Paulo Cunha, Jilmar Tatto, José Mentor, Michel Temer, Paulo Pereira da Silva - o Paulinho da Força, lembra-se? -, Eduardo Azeredo, Fernando Collor - o presidente impeachmado, lembra-se? -, Renan Calheiros, Celso Russomanno e por aí vai...

Mantenho a pergunta a você: qual é a melhor atitude?


Alternativa (A): O conformismo - adotar o pensamento e postura de que a política e os políticos são assim, mesmo, e concluir que nada vai mudar;

Alternativa (B):
Anular o voto - quem sabe assim candidatos decentes apareçam;

Alternativa (C): Votar conscientemente - buscando informações sobre o passado dos políticos dos quais votarei e coletando dados sobre sua postura e realizações políticas em prol da sociedade;

Alternativa (D):
Votar conscientemente, como descrito na alternativa (C) e cobrar resultados;

Alternativa (E):
Todas as alternativas, menos a (A).

Não podemos cruzar os braços, nos conformar e acomodar, pensando que não é possível uma nova realidade. A começar, precisamos mudar as nossas próprias posturas e costumes - como o "jeitinho brasileiro" - e valorizar a ética e o nosso senso moral, sem hipocrisias.

Peço a você, caro leitor, que pense e repense emquem você é e o que pode fazer para mudar a nossa realidade. É preciso lutar, brigar, reclamar e reivindicar. Tudo o que está errado, precisa de conserto.

Às vezes, um simples e-mail de cobrança e/ou uma postagem de indignação publicada em seu blog e transmitida a muitos, tenho a certeza de que é um grande passo a unir forças com outros cidadãos para se construir um novo horizonte.


É possível, sim: podemos olhar à nossa volta e acharmos soluções simples e claras para grandes problemas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anônimos não serão publicados