quinta-feira, 27 de maio de 2010

Segundo Holocausto


O primeiro-ministro, Binyamin Netanyahu, afirmou que o Irã estaria se preparando para cometer um "segundo Holocausto" e disse que "deve-se usar de todos os meios para impedir que isso aconteça".
O ministro da Defesa, Ehud Barak, já disse que "não descarta nenhuma opção para impedir que o Irã tenha armamentos nucleares", e o chefe do Estado Maior, general Gabi Ashkenazi, mencionou a capacidade da Força Aérea de atacar "alvos distantes".
Yalon, que já foi chefe do Estado-Maior do Exército de Israel e é um dos ministros do "gabinete dos sete" – o fórum de ministros considerado mais importante do governo israelense –, chegou a declarar que Israel de fato "já se encontra em um confronto militar com o Irã", mencionando o conflito de Israel com o Hamas e o Hezbollah, organizações que Israel considera "extensões" do Irã.
Os pronunciamentos sobre a possibilidade de que Israel venha a atacar o Irã levaram o presidente americano, Barack Obama, a enviar emissários especiais para convencer o governo israelense de que o caminho para impedir o desenvolvimento de um projeto nuclear iraniano para fins militares seria por intermédio de sanções.
Fonte: http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2010/05/100510_israeliraataquefn.shtml

http://caranovanocongresso.blogs.sapo.pt/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anônimos não serão publicados