segunda-feira, 10 de maio de 2010

Paulistas pagam salário a contrabandista

Operação Wei Jin (Tuma Jr. x Contrabando)
Paulo Li trabalhou na Assembleia na época do secretário
O chinês Li Kwok Kwen, o Paulo Li, investigado e preso pela Polícia Federal sob acusação de contrabando, foi contratado pela Assembleia Legislativa no mesmo período que o então deputado estadual pelo PMDB e hoje secretário executivo do Ministério da Justiça, Romeu Tuma Júnior, esteve no Legislativo paulista
O Estado de S. Paulo (SP)
O Estado pesquisou no Diário Oficial do Estado, do dia 19 de marçode2003, em que ele é cita- do na nomeação como secretário parlamentar I, em comissão, em vaga decorrente da exoneração de Eliana Ruiz Ikosa. Se ele trabalhasse até hoje, seu salário seria entre R$ 5 mil e R$ 7 mil, fora eventuais gratificações. Tido como um dos líderes da máfia chinesa em São Paulo, Li deixou o cargo somente em15de março de 2007, substituído por Alexandre Dias. Sua exoneração também foi publicada no Diário Oficial daquele dia. Seu período à frente da função, que exige diploma de curso superior, coincide exatamente com o mandato de Tuma Júnior na Assembleia paulista, primeiro no PPS e depois no PMDB, pelo qual chegou a ser corregedor da Casa.

Fonte / Leia mais: http://www.deunojornal.org.br/materia.asp?mat=290907

Um comentário:

  1. Seria este o tal fato novo que o Coroner Lua da Sirva disse estar esperando? Que desculpa inventará desta feita?

    ResponderExcluir

Anônimos não serão publicados