quinta-feira, 1 de abril de 2010

Overdose de Capim - Izabel Noronha (Bebel - APEOESP

"Não foi professor. Foi alguém que queria nos incriminar, como sempre fazem".

Izabel Noronha, vulgo Bebel, presidente da APEOESP, sugerindo que a policial militarErika Cristina Moraes de Souza Canavezi, que levou uma paulada durante outra passeata dos companheiros grevistas, foi ferida a mando de José Serra só para dar a impressão de que os pacíficos manifestantes são baderneiros.
Apeoesp e PM - 1 por Yuri Gonzaga.

26 de marco de 2010 - São Paulo (SP) - Manifestantes em ato da Apeoesp, entraram em confronto com a policia militar hoje, no Morumbi, regiao sul de São Paulo. Fotógrafo Yuri Gonzaga. Na foto, policial militar leva uma PM ferida para ser socorrida.



3 comentários:

  1. Salve 31 de março de 1964.

    Uma data que nos enche de orgulho, por representar o poder de vigilância e de ação das nossas gloriosas FFAA, com total responsabilidade cívica e comprometimento pátrio.

    Um dia para ser lembrado como a grande Vitória do Bem sobre o mal.

    Um dia comemorado por Homens e Mulheres de bem, cidadãos e cidadãs de boa índole, livres brasileiros de todas as etnias, cores, raças, religiões e classes sociais.

    Em torno do dia 31 de março, postam-se de mãos dadas, todos os brasileiros de Alma e Fé, que esperam em Deus uma saída digna para o Brasil, não importando a que custo se tenha que lograr a Vitória, mais uma vez a ser travada pelo Bem contra o mal.

    O 31 de março é também uma data cruel, que jamais se apagará da mente dos anarquistas subversivos de ontem e de hoje. Uma data que humilha, envergonha e aniquila o moral dos desgraçados vencidos, a quem, pelas FFAA, como única oferta, fora concedido, tão somente, o direito à rendição.

    Portanto, rejubilemo-nos no dia de hoje, e olhemos sempre para frente e para o alto, pois a História se nos oferece para ser consultada, e nela, poder-se-á conhecer que as nossas gloriosas FFAA jamais foram vencidas, pois souberam dar por cumpridas todas as missões que lhes foram impostas, em qualquer tempo e lugar, no Brasil e no exterior.

    Neste 31 de março, oremos!

    Elevemos o nosso pensamento e rendamos nossos sinceros agradecimentos àqueles que no cumprimento do dever, civis e militares, nos deram a liberdade, cedendo suas vidas à causa pátria, a maioria deles morrendo jovem para viver sempre.

    Cada brasileiro, reconheça ou não, tem uma eterna dívida de gratidão para com o Exército Brasileiro, pela sua firme e acertada decisão de sair às ruas naquele 31 de março de 1964, e mostrar aos comunas, ao país e ao mundo, o poder de sua estatura moral, deixando-lhes o recado de que o silêncio faz parte da estratégia e que há sempre o momento certo para agir, até mesmo para a tomada das mais complexas decisões.

    Neste dia 31 de março, reflitamos!

    Mudemos nossa forma de encarar o problema.

    Rechacemos todo e qualquer pensamento de dúvida, de descrença e de desesperança.

    Policiemos nossas mentes para enxergarmos o Brasil liberto, uno e soberano, definitivamente desinfectado da escória narco-comuna.

    Incondicionalmente, confiemos!

    Entendamos que nenhum exército do planeta, sai às ruas comunicando o que pensa, muito menos qual a sua intenção e suas ações futuras.

    Acreditemos em Deus, acima de tudo!

    Acreditemos na Vitória Universal do Bem sobre o mal.

    Acreditemos no Exército de Caxias.

    Acreditemos que o dia 31 de março de 1964 foi o prenúncio pacífico de uma grandiosa e definitiva ação corretiva, que a passos largos se aproxima do presente, desta vez mais desejada do que nunca pelo povo, manifestada fora das ruas e sem passeatas, sim, mas concentrando-se nos corações e mentes dos Brasileiros e Brasileiras de Boa Vontade, pelo Brasil a fora, que, ansiosos, aguardam por uma convocação, no momento oportuno.

    O Exército Brasileiro é o grande líder na paz e na guerra, e tem muito mais seguidores do que se imagina!!!

    Assim se verá!

    Salve o 31 de março de 1964.

    Salve as FFAA do Brasil.

    Salve o Povo Brasileiro.

    ResponderExcluir
  2. Na Alemanha fazer apologia ao Nazismo é crime, o mesmo deveria ocorrer aqui no Brasil com nosso vergonhoso regime de exceção conhecido como Ditadura Militar, quem defende a República e o Estado Democrático de Direito não poderá tolerar qualquer totalitarismo, qualquer regime de exceção que venha a surrupiar a soberania do POVO BRASILEIRO. A Ditadura Militar é algo de que nós infelizmente devemos nos lembrar, é uma vergonha da qual não podemos esquecer para que essa barbárie da nossa História nunca mais se repita.

    ResponderExcluir
  3. OLÁ LORD.

    QUER BABÁRIE PIOR QUE ESSE DESGOVERNO DE MERDA.
    ABS DO BETOCRITICA

    ResponderExcluir

Anônimos não serão publicados