quarta-feira, 7 de abril de 2010

O PT e a síndrome do escorpião


Caso queira permanecer como partido estruturado, depois das eleições, o PT precisa urgentemente analisar seus erros e rever sua postura em relação ao país. Não se pode obviamente diminuir o papel do Real nessas eleições. Mas o PT de Lula começou a cavar sua sepultura antes mesmo da troca de moedas. (...) Na base, o PT é evangélico, passional, facilmente ludibriável pelos populistas de plantão. No meio campo, dispõe de cidadãos consequentes, mas sem espaço de atuação. No topo, de dirigentes que ascenderam manipulando as bases e que passam a instrumentalizar o partido em seu próprio benefício. No fundo, o PT é muito parecido com o Brasil. Tem saltado aos olhos campanhas de dirigentes do partido, eleitoralmente inexpressivos, com gastos muito acima da média partidária. Não será coincidência se o financiamento provir de corporações estatais anacrônicas. O partido pagou a conta de ter substituído o discurso da cidadania pelo do corporativismo. Mas os dirigentes garantiram o seu. No fundo, as práticas políticas internas do PT são filhas diretas da mesma estrutura mental que gerou coronéis nordestinos e toda a tradição corporativista brasileira.
Fonte: http://www.interney.net/blogs/imprensamarrom/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anônimos não serão publicados