segunda-feira, 19 de abril de 2010

Lista dos Deputados Federais com Ocorrências na Justiça e Tribunais de Contas - DIVULGUEM


2010 chegou!
O BRASIL ESPERA QUE FAÇAMOS NOSSA PARTE
VAMOS LIMPAR O CONGRESSO
Guardem e Distribuam ao máximo!
Ocorrências na Justiça e Tribunais de Contas
Fonte: www.excelencias.org.br
endereço: http://www.excelencias.org.br/@casa.php?pr=1
As informações sobre ocorrências nas Justiças estaduais e nos Tribunais de Contas dependem da disponibilidade de dados em cada Corte, havendo grande disparidade de estado a estado. Por isso, pode acontecer eventual ausência de menção a processo em que algum parlamentar é réu. Processos que correm em primeira instância só são incluídos quando movidos pelo Ministério Público ou outros órgãos públicos. Processos movidos por outras partes só são assinalados quando já existe decisão desfavorável ao parlamentar. No caso de contas de campanha rejeitadas, todas as decisões são assinaladas aqui (desde que o político não tenha obtido a anulação da decisão), mesmo que o parlamentar tenha corrigido o problema (no caso de erros meramente formais, por exemplo). São anotadas ocorrências relativas a homicídio, estupro e pedofilia, mas não são incluídos outros litígios de natureza privada (como disputas por pensão alimentícia), nem queixas relacionadas a crimes contra a honra (porque políticos são freqüentemente alvo desse tipo de processo). Por fim, assinala-se aqui a inscrição do parlamentar na dívida ativa previdenciária e na lista de autuados por exploração do trabalho escravo.

ANTES DE VOTAR NESTES CANDIDATOS VISITE O SITE E ANALISE MUITO BEM:

Abelardo Camarinha (PSB/SP)

Abelardo Lupion (DEM/PR)

Acélio Casagrande (PMDB/SC)

Ademir Camilo (PDT/MG)

Aelton Freitas (PR/MG)

Affonso Camargo (PSDB/PR)

Albano Franco (PSDB/SE)

Alceni Guerra (DEM/PR)

Alexandre Silveira (PPS/MG)

Alfredo Kaefer (PSDB/PR)

Alice Portugal (PC do B/BA)

Aline Corrêa (PP/SP)

Andre Vargas (PT/PR)

Andre Zacharow (PMDB/PR)

Angela Amin (PP/SC)

Aníbal Gomes (PMDB/CE)

Anselmo de Jesus (PT/RO)

Antonio Carlos Mendes Thame (PSDB/SP)

Antonio Carlos Pannunzio (PSDB/SP)

Antonio Palocci (PT/SP)

Armando Abílio (PTB/PB)

Armando Monteiro (PTB/PE)

Arnaldo Vianna (PDT/RJ)

Arnon Bezerra (PTB/CE)

Asdrubal Bentes (PMDB/PA)

Augusto Carvalho (PPS/DF)

Augusto Farias (PTB/AL)

Betinho Rosado (DEM/RN)

Beto Albuquerque (PSB/RS)

Beto Mansur (PP/SP)

Bonifácio de Andrada (PSDB/MG)

Camilo Cola (PMDB/ES)

Carlos Alberto Canuto (PSC/AL)

Carlos Alberto Leréia (PSDB/GO)

Carlos Bezerra (PMDB/MT)

Carlos Brandão (PSDB/MA)

Carlos Melles (DEM/MG)

Carlos Willian (PTC/MG)

Cassio Taniguchi (DEM/PR)

Celso Maldaner (PMDB/SC)

Celso Russomanno (PP/SP)

Charles Lucena (PTB/PE)

Ciro Nogueira (PP/PI)

Cleber Verde (PRB/MA)

Clóvis Fecury (DEM/MA)

Colbert Martins (PMDB/BA)

Dagoberto (PDT/MS)

Dalva Figueiredo (PT/AP)

Darcísio Perondi (PMDB/RS)

Décio Lima (PT/SC)

Dilceu Sperafico (PP/PR)

Domingos Dutra (PT/MA)

Edinho Bez (PMDB/SC)

Edmar Moreira (PR/MG)

Edson Ezequiel (PMDB/RJ)

Eduardo Cunha (PMDB/RJ)

Eduardo Gomes (PSDB/TO)

Eduardo Sciarra (DEM/PR)

Eliene Lima (PP/MT)

Eliseu Padilha (PMDB/RS)

Elismar Prado (PT/MG)

Emanuel Fernandes (PSDB/SP)

Ernandes Amorim (PTB/RO)

Eugênio Rabelo (PP/CE)

Eunício Oliveira (PMDB/CE)

Fábio Faria (PMN/RN)

Fernando Coruja (PPS/SC)

Fernando de Fabinho (DEM/BA)

Fernando Gonçalves (PTB/RJ)

Fernando Lopes (PMDB/RJ)

Fernando Marroni (PT/RS)

Fernando Melo (PT/AC)

Flaviano Melo (PMDB/AC)

Francisco Rodrigues (DEM/RR)

Francisco Rossi (PMDB/SP)

Francisco Tenorio (PMN/AL)

Geraldo Pudim (PR/RJ)

Geraldo Simões (PT/BA)

Gervásio Silva (PSDB/SC)

Giacobo (PR/PR)

Gladson Cameli (PP/AC)

Guilherme Campos (DEM/SP)

Henrique Eduardo Alves (PMDB/RN)

Henrique Fontana (PT/RS)

Hugo Leal (PSC/RJ)

Íris de Araújo (PMDB/GO)

Íris Simões (PTB/PR)

Jackson Barreto (PMDB/SE)

Jader Barbalho (PMDB/PA)

Jairo Ataide (DEM/MG)

Janete Capiberibe (PSB/AP)

Jefferson Campos (PSB/SP)

Jerônimo Reis (DEM/SE)

João Magalhães (PMDB/MG)

João Matos (PMDB/SC)

João Oliveira (DEM/TO)

João Paulo Cunha (PT/SP)

João Pizzolatti (PP/SC)

Joaquim Beltrão (PMDB/AL)

Jofran Frejat (PR/DF)

Jorge Boeira (PT/SC)

Jorginho Maluly (DEM/SP)

José Airton Cirilo (PT/CE)

José Carlos Machado (DEM/SE)

José Carlos Vieira (PR/SC)

José Fernando Aparecido de Oliveira (PV/MG)

José Genoíno (PT/SP)

José Guimarães (PT/CE)

José Linhares (PP/CE)

José Maia Filho (DEM/PI)

José Mendonça Bezerra (DEM/PE)

José Mentor (PT/SP)

José Otávio Germano (PP/RS)

Joseph Bandeira (PT/BA)

Jovair Arantes (PTB/GO)

Julião Amin (PDT/MA)

Júlio Cesar (DEM/PI)

Julio Semeghini (PSDB/SP)

Jurandil Juarez (PMDB/AP)

Laerte Bessa (PSC/DF)

Laurez Moreira (PSB/TO)

Leandro Sampaio (PPS/RJ)

Leandro Vilela (PMDB/GO)

Leo Alcântara (PR/CE)

Lindomar Garçon (PV/RO)

Lira Maia (DEM/PA)

Luiz Bittencourt (PMDB/GO)

Luiz Paulo Vellozo Lucas (PSDB/ES)

Luiza Erundina (PSB/SP)

Lupércio Ramos (PMDB/AM)

Manoel Junior (PMDB/PB)

Manoel Salviano (PSDB/CE)

Marçal Filho (PMDB/MS)

Marcelo Melo (PMDB/GO)

Marcelo Ortiz (PV/SP)

Marcelo Teixeira (PR/CE)

Márcio França (PSB/SP)

Marcio Junqueira (DEM/RR)

Marcos Medrado (PDT/BA)

Marcos Montes (DEM/MG)

Maurício Quintella Lessa (PR/AL)

Maurício Trindade (PR/BA)

Mauro Nazif (PSB/RO)

Michel Temer (PMDB/SP)

Moises Avelino (PMDB/TO)

Natan Donadon (PMDB/RO)

Nazareno Fonteles (PT/PI)

Nelson Bornier (PMDB/RJ)

Nelson Goetten (PR/SC)

Nelson Meurer (PP/PR)

Nelson Trad (PMDB/MS)

Neudo Campos (PP/RR)

Nilmar Ruiz (PR/TO)

Odílio Balbinotti (PMDB/PR)

Olavo Calheiros (PMDB/AL)

Osvaldo Reis (PMDB/TO)

Pastor Pedro Ribeiro (PR/CE)

Paulo Magalhães (DEM/BA)

Paulo Maluf (PP/SP)

Paulo Pereira da Silva (PDT/SP)

Paulo Rattes (PMDB/RJ)

Paulo Rocha (PT/PA)

Pedro Eugênio (PT/PE)

Pedro Henry (PP/MT)

Pedro Wilson (PT/GO)

Pinto Itamaraty (PSDB/MA)

Pompeo de Mattos (PDT/RS)

Professor Ruy Pauletti (PSDB/RS)

Professora Raquel Teixeira (PSDB/GO)

Raul Jungmann (PPS/PE)

Rebecca Garcia (PP/AM)

Renato Amary (PSDB/SP)

Renato Molling (PP/RS)

Roberto Balestra (PP/GO)

Roberto Britto (PP/BA)

Roberto Rocha (PSDB/MA)

Rogerio Lisboa (DEM/RJ)

Rogério Marinho (PSDB/RN)

Rômulo Gouveia (PSDB/PB)

Sabino Castelo Branco (PTB/AM)

Sebastião Bala Rocha (PDT/AP)

Sérgio Moraes (PTB/RS)

Sergio Petecão (PMN/AC)

Silas Brasileiro (PMDB/MG)

Silas Câmara (PSC/AM)

Silvio Lopes (PSDB/RJ)

Silvio Torres (PSDB/SP)

Simão Sessim (PP/RJ)

Solange Almeida (PMDB/RJ)

Sueli Vidigal (PDT/ES)

Takayama (PSC/PR)

Tatico (PTB/GO)

Thelma de Oliveira (PSDB/MT)

Tonha Magalhães (PR/BA)

Uldurico Pinto (PHS/BA)

Urzeni Rocha (PSDB/RR)

Vadão Gomes (PP/SP)

Valdemar Costa Neto (PR/SP)

Vander Loubet (PT/MS)

Vic Pires Franco (DEM/PA)

Vicentinho Alves (PR/TO)

Vital do Rêgo Filho (PMDB/PB)

Vitor Penido (DEM/MG)

Walter Ihoshi (DEM/SP)

Wellington Roberto (PR/PB)

Wilson Picler (PDT/PR)

Wladimir Costa (PMDB/PA)

Zé Gerardo (PMDB/CE)

Zé Vieira (PR/MA)

3 comentários:

  1. Apenas para informar, o que torna inelegível um deputado são as condenações tramitadas em julgado no Tribunal de Contas. Processos em andamento não significam condenações. Há de se aguardar o julgamento para qualquer tipo de emissão de juízo de valores. Assim, por exemplo, no trânsito você atropela alguém e mata. Cabe à Justiça apurar as cicunstâncias e se houve negligência ou não. Até esse final jurídico você não é um homicida, se for o caso.

    ResponderExcluir
  2. Rogerio
    Entendo que candidatos deveriam estar "candidos" ao postularem um cargo eletivo, e os partidos deveriam rejeitar candidatos com processos. Mas o dinheiro fala mais alto, não é? Evitariamos assim possiveis eleições de candidatos que posteriormente seriam condenados.
    Diga-se de passagem que a mais de 50 anos o STJ não condena um parlamentar. Este país se tornou o paraíso d'aqueles que selocupletam do bem público

    ResponderExcluir
  3. Concordo com Lord. Acho que os eleitores devem saber quais processos estão sobre seus candidatos. E, após este conhecimento, que façam uso dele de forma a não permitir a volta dos safados. Ora, o caso citado do atropelamento. Se o cara estiver bêbado ou em alta velocidade, não importa se for absolvido. Um eleitor consciente não daria seu voto a ele.

    ResponderExcluir

Anônimos não serão publicados