quinta-feira, 29 de abril de 2010

Funaro: Vaccari tem 'relação umbilical' com grupo investigado pelo Ministério Público

Em CPI, doleiro recusa, por ordem de advogados, a fazer acusação de que ex-presidente da Bancoop cobrava propinas

Ana Paula Scinocca - Estadão
Em depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito das Organizações Não-Governamentais (ONGs) nesta quarta-feira, 28, no Senado, o doleiro Lúcio Bolonha Funaro afirmou que o tesoureiro do PT e ex-presidente da Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo (Bancoop), João Vaccari Neto, tem uma "relação umbilical" com o grupo Schahin. Segundo Funaro, a Schahin é "alvo de uma série de investigações do Ministério Público, da Justiça Federal e da Polícia Civil paulista como um dos grupos que cometeram as maiores fraudes financeiras nos últimos anos".

O doleiro foi convidado a depor na CPI porque, segunda a revista Veja, teria afirmado a procuradores que Vaccari cobrava propina de investidores interessados em fazer negócios com fundos de pensão estatais. Segunda-feira, porém, ele se negou a falar sobre a suposta propina, dizendo que seguia orientação de seus advogados. Ele aproveitou o depoimento para fazer acusações contra o grupo Schahin, com o qual uma empresa que ele representa está em litígio legal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anônimos não serão publicados