sexta-feira, 19 de março de 2010

Vargas Llosa denuncia silencio da América Latina frente a Cuba


Ciudad de México.- O escritor peruano-espanhol Mario Vargas Llosa, de visita ao México, criticou os governos latino-americanos por seu silencio frente Cuba, em declarações publicadas hoje na imprensa mexicana.

"Temos que criticar os governos democráticos latinos americanos que, em lugar de se solidarizar com o que querem em Cuba, a mesma democracia que se goza em outros países, lhe virem as costas", disse o autor de "Conversación en la Catedral".

Vargas Llosa se referia a morte do dissidente Orlando Zapata ocorrida em 23 de fevereiro depois de 83 dias de greve de fome e a situação de Guillermo Fariñas, hospitalizado pelo mesmo motivo, para reclamar a liberação de 26 presos políticos com problemas de saúde.

O
s governos da América Latina "quando se trata de Cuba, em lugar de ser coerentes com o que são olham para outro lado porque temem que qualquer crítica que façam venha a criar dificuldades com sua própria esquerda", sustentou.

"Devido a morte de Zapata e a agonia de Fariñas, e protestos no resto do mundo. O mundo se inteirou de que em Cuba, apesar das condições tão duras, ha uma dissidência que se mantém vivo o desejo de liberdade, que envia mensagens ao mundo pede uma solidariedade que
são muitas vezes não vem ".

http://www.milenio.com/node/404341

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anônimos não serão publicados