segunda-feira, 8 de março de 2010

Vaccarezza defende tesoureiro do PT e critica quebra de sigilo

CASO BANCOOP

DA FOLHA ONLINE
08/03/2010

O líder do governo na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), rebateu ontem o pedido de quebra de sigilo bancário e fiscal apresentado pelo promotor José Carlos Blat, do Ministério Público de São Paulo, contra João Vaccari Neto, tesoureiro do PT. Ele será o responsável pelas finanças da campanha da ministra Dilma Rousseff à Presidência.
Vaccari Neto, presidente licenciado da Bancoop (Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo), é acusado de envolvimento no suposto esquema de desvio de verba da entidade. Segundo Vaccarezza, a ação faz parte de uma "articulação política mal engendrada".
Segundo reportagem da revista "Veja" desta semana, foram analisadas mais de 8.000 páginas de documentos do processo que envolve o desvio de recursos. A conclusão é que a direção da Bancoop girou R$ 31 milhões em cheques para a própria entidade para não revelar o destino do dinheiro.
O petista disse estranhar o fato de o PSDB ter entrado com pedido de CPI na Assembleia Legislativa de São Paulo antes da denúncia ser apresentada pelo promotor.
Em nota divulgada ontem em seu site, a Bancoop chamou a reportagem de "fantasiosa".
(PHILLIP DÂNTOM)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anônimos não serão publicados