sexta-feira, 5 de março de 2010

Outros senadores no censo da alegria do Interlegis

05/03/2010 - Lúcio Lambranho -Congresso em Foco

Levantamento nas câmaras municipais realizado com dinheiro do Senado, mas sem processo seletivo, privilegiou indicações de funcionários e ex-funcionários de oito gabinetes. Procurador do Ministério Público junto ao TCU pedirá informações à presidência da Casa sobre estas contratações

Ag. Senado
Além de Agaciel, Efraim e Heráclito, outros oito senadores também indicaram pessoas para o censo do Interlegis

Além de contratar parentes de dois senadores e do então diretor-geral do Senado, o I Censo do Interlegis também recrutou pesquisadores por meio da indicação de outros oito gabinetes do Senado para o levantamento realizado em 2005. Os senadores e ex-senadores que puderam indicar recenseadores entre funcionários e ex-servidores comissionados para a pesquisa nas câmaras municipais nos seus estados foram: Tião Viana (PT-AC), Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR), Leomar Quintanilha (PMDB-TO), Alvaro Dias (PSDB-PR), Osmar Dias (PDT-PR), Paulo Paim (PT-RS), Aelton Freitas (PR-MG) e Ana Júlia Carepa (PT-PA).


Como revelou o
Congresso em Foco em outras três reportagens, uma sobrinha do senador Heráclito Fortes (DEM-PI) foi contratada para o trabalho, assim como três irmãos do ex-diretor-geral do Senado Agaciel Maia e um primo do então primeiro secretário e colega de partido de Heráclito, o senador Efraim Morais (DEM-PB).

Interlegis contratou parentes de Agaciel em censo

Efraim indicou parente para censo do Legislativo

Censo do Interlegis contratou sobrinha de Heráclito

Requisito para a manutenção de um contrato de US$ 25 milhões do Senado com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o censo não teve processo seletivo e privilegiou a contratação de pessoas com ligações políticas nos estados.

Apesar da parceria, o BID informou ao site que o levantamento teria sido pago inteiramente pelo Senado. Mesmo assim, os pagamentos pelo trabalho e outras despesas do censo não foram registrados no Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (Siafi).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anônimos não serão publicados