sábado, 13 de março de 2010

Lua esquece da necessidade transparência no trato do dinheiro público

Presidente reclama de ''tantas exigências e fiscalização''
Ele defende mais agilidade nas liberações de projetos e diz que fica irritado com ''emperramento burocrático''
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que se irrita ao decidir "alguma coisa" e isso não acontecer. "Muitas vezes todo mundo está de acordo e, de repente, você percebe que há um emperramento burocrático", afirmou em entrevista à Rádio Banda B, após desembarcar no Aeroporto Afonso Pena. "São tantas instituições, são tantas as entidades de fiscalização, há tantas exigências para fazer uma obra", reclamou. Por isso, segundo ele, leva-se três anos para começar um projeto.
O presidente desconsiderou a suspeita de superfaturamento, apontada em inspeções do Tribunal de Contas da União em obra inaugurada por ele ontem. "Sou favorável a toda e qualquer fiscalização, que fosse feita 24 horas, via satélite, mas acontece que muitas vezes as pessoas levantam suspeita, paralisam a obra e, só depois, chegam à conclusão de que está correta", declarou. "Quem paga o prejuízo da obra parada? Não aparece. O povo brasileiro paga porque não tem a obra."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anônimos não serão publicados