segunda-feira, 8 de março de 2010

Berzoini, Caixa 2, Germany, Mizu, Bancoop e PT

Fonte: Redação do site da Band News FM

Documentos investigados pelo Ministério Público revelam que os diretores da cooperativa habitacional Bancoop criaram várias empresas que faziam doações a campanhas do PT. Mas os valores não eram registrados junto à Justiça Eleitoral. Uma delas, a Mizu, foi aberta por Luis Malheiros, braço direito de Ricardo Berzoíni na cooperativa. Na teoria, a Mizu deveria prestar serviços à Bancoop. Mas no endereço da empresa, a dona-de-casa Zucarli Silva revela que a Mizu só funcionava no papel. A reportagem do Jornal da Band teve acesso à contabilidade das empresas ligadas à cooperativa. Os diretores da Mizu são os mesmos da Bancoop. Coincidentemente, a Mizu só recebia recursos da Bancoop ou da Germany, uma construtora cujos sócios também são diretores da Bancoop. Mas as coincidências não param por aí: a Mizu usava recursos próprios para pagar dívidas da Bancoop. Fez também doações ao PT durante a campanha presidencial em 2002, que não foram registradas pela Tribunal Superior Eleitoral. Nasce aí o que Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT, chamaria de recursos não contabilizados. Para o promotor José Carlos Blat, que investiga o sumiço do dinheiro dos mutuários, os documentos comprovam que os recursos da cooperativa foram parar nos cofres do PT. A Bancoop está quebrada e três mil famílias esperam a entrega dos imóveis, que até hoje não foram construídos.Em nota, o presidente do PT, Ricardo Berzoini, diz que o partido não tem conhecimento das supostas doações, nem foi comunicado sobre o assunto pelo Ministério Público. Afirma ainda que nunca houve qualquer relacionamento financeiro do PT com a Bancoop. Berzoini diz também que se desligou da direção da cooperativa em dezembro de 2002.

Link: http://bandnewsfm.band.com.br/conteudo.asp?ID=75869

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anônimos não serão publicados