quinta-feira, 18 de março de 2010

As tolices do Zé Dirceu

O ex-ministro e hoje lobista, José Dirceu, continua como uma das personalidades mais presentes e atuantes na República lulista. Envolve-se, mesmo com seus direitos políticos suspensos, na política brasileira. Dá palpites e até comanda (porque na verdade é um líder nato desde jovem) boa parte do PT. É ouvido por Lula e por Dilma. Mas, de quando em vez, comete asneiras e tolices que extrapolam, em termos negativos, o que dele se espera. Para atacar os jornalistas, normal no governo Lula, acaba de dizer (ver nota) que a imprensa não elege mais presidentes. É verdade. Quem elege é a televisão e o rádio no horário gratuito da Justiça Eleitoral, que nada mais são do que midias, imprensa eletrônica. Se não bastasse, para contradizê-lo existe o exemplo dos Estados Unidos e de Barak Obama. O presidente americano se elegeu, e foi o primeiro político a utilizar esta tecnologia, usando a internet. Seu instrumento foram os sites que se somaram às redes nacionais de comunicação americana que cobrem o País de ponta a ponta. Mas, se ele diz que aqui a imprensa não elege, por que ele não faz esta declaração em alto-falantes de feiras livres? Por que usa a imprensa e a internet para se comunica? Aliás, para que ele quer um blog, que tem seu nome para falar e orientar o PT? Dirceu é inteligente sim. E muito sabido. Até demais da conta. É uma dessas figuras extremamentes contraditórias. Faz e nega. Nega e faz. Bem, o mensalão está aí. Foi denunciado pela imprensa e ele acabou exonerado da chefia da Casa Civil, perdeu o mandato de deputado federal, cassado, e ainda teve os seus direitos políticos suspensos. Assim posto, devagar, Dirceu, porque você, ao que parece, está muito confuso. Acaba indo para Havana fazer greve de fome. (Samuel Celestino)
Fonte: http://www.bahianoticias.com.br/noticias/noticia/2010/03/18/59539,as-tolices-do-ze-dirceu.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anônimos não serão publicados