sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

No passarán! - por Carlos Vereza


Eu, Orlando Zapata,

Cubano dissidente,
e descrente,oro por você
Lula.
Por sua insensibilidade,
que nunca sabe de nada,
dos pedidos de socorro,
dos que foram fuzilados.
Oro por sua capacidade infinita
de omitir-se, de virar o rosto para o lado.
Oro por sua avidez,
sua falsa ideologia.
Uma palavra sua poderia salvar-me,
interromper minha greve de fome,
minha greve de liberdade,
minha greve de amor.
Sua cumplicidade com o arbítrio,
e a tortura em Cuba,
já tristemente saudosa de Batista.
Oro pelos intelectuais de "esquerda",
pelo silêncio criminoso dos intelectuais de "esquerda."
Ergo aos ceus minha prece,
por uma América Latina
livre dos ditadores,
populistas,
pais dos pobres.
Oro pelas veias cortadas
por aproveitadores da ignorância
dos povos,
dos pueblos,
dos Chicos.
Que o Deus negro
dos cubanos
perdoe sua falsa greve de hambre
alimentada por cumplices carcereiros.
Mas ustedes
No passarán
E mesmo assim,
oro por sua queda,
que ela não seja leve,
que ainda me sinto preso
à amargura,
a minha pouca santidade.
Lula, a Santeria tudo viu,
tudo vê,
tudo sabe,
nada ignora.
E você e todos
os que sugaram minha comida
minha alma,
minha pouca alegria,
repito:
No passarán!
Por Carlos Vereza
PS - Assinamos embaixo. movcc/Gabriela

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anônimos não serão publicados