sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Conhecendo os Deputados Federais - José Genoíno (PT-SP)


Nome de batismo: José Genoíno Neto
CPF: 996.068.798-87
e-mail: dep.josegenoino@camara.gov.br
Votos recebidos na última eleição: 98.729
Eleito pelo PT
Cargos relevantes:
Deputado federal por cinco legislaturas (1983-1987/1987-1991/1991-1995/1995-1999/1999-2003, PT-SP).
Outros dados relevantes:
É irmão de José Guimarães, deputado federal (2007-2011). Foi candidato ao governo de São Paulo em 2002.
Histórico de filiações partidárias: PT, 1980
Ocorrências na Justiça e Tribunais de Contas:
STF Ação Penal Nº420/2007 - Processo sigiloso relacionado ao caso do Mensalão.
STF Ação Penal Nº470/2007 - É o processo penal do Mensalão. Genoino responde pelos crimes de formação de quadrilha e corrupção ativa; a denúncia por peculato não foi recebida pelo Supremo Tribunal Federal.
TRF-1 Seção Judiciária de Brasília Improbidade Administrativa Nº2007.34.00.029880-6 - É processado em ação civil movida pelo Ministério Público.
TRF-1 Seção Judiciária de Brasília Improbidade Administrativa Nº2007.34.00.029882-3 - É processado em ação civil movida pelo Ministério Público.
Deu no Jornal
Quando surgiram as primeiras acusações o mensalão, afirmou não saber de nada e que o PT não estaria envolvido no caso. Mais tarde, foi revelado que ele assinou os empréstimos tomados pelo PT no Banco Rural - tendo Marcos Valério como avalista - supostamente para pagar dívidas de campanha. Genoino culpa Delúbio pelo caixa-dois petista (Folha de S. Paulo, 7.jun.2005, 13.nov.2005, 1.fev.2006; Diário do Nordeste, 29.ago.2007).
É réu em ação penal, iniciada pelo Ministério Público de Minas Gerais, em que figuram as acusações de gestão fraudulenta de instituição financeira e falsidade ideológica. O processo está relacionado aos empréstimos realizados pelo PT junto ao banco BMG, com Marcos Valério como avalista. Como Genoíno tem prerrogativa de foro, a ação tramita no Supremo Tribunal Federal (STF) (Folha de S. Paulo, 19.abr.2007).
O Ministério Público do Distrito Federal ajuizou ação civil pública por improbidade contra Genoíno, por envolvimento no caso do mensalão. O deputado responde a outras ações por improbidade na Justiça Federal de Brasília (Correio Braziliense, 21.ago.2007; Folha de S. Paulo, 17.jan.2009).
Deixou a presidência do PT quando um assessor de seu irmão José Nobre Guimarães foi preso no aeroporto de Congonhas com dólares na cueca, num montante equivalente a R$ 437 mil. O irmão de Genoino foi posteriormente absolvido em processo de cassação na Assembléia Legislativa no Ceará, mas o Ministério Público afirma que a origem dos dólares na cueca do assessor era de propina (Folha de S. Paulo, 10.jul.2005 e 14.mai.2006)
Sua mulher acompanhou-o em uma viagem de dez dias à China, com as despesas pagas pelo fundo partidário destinado ao PT (Folha de S. Paulo, 14.set.2005).
Teria usado parte da cota de passagens aéreas para vôos internacionais, ou cedido a seus parentes (O Globo, 23.abr.2009).
Inimigo declarado do PLP 518/09- Ficha Limpa, que nas palavras dele (em 4 de novembrode 2009 da tribuna) condenou o projeto, dizendo que a proposta era "inconstitucional e autoritária".

Fonte: www.excelencias.gov.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anônimos não serão publicados