sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Adeus de Lula ao Nobel da Paz


Em 07.07.2009 Lula recebeu o Prêmio Félix Houphouët-Boigny pela Busca da Paz, oferecido pela Organização das Nações Unidas para a Educação (Unesco), época em que se cogitou das chances futuras de um Nobel da Paz.

O que se seguiu foram tiros no pé.

Foi alertado por Shirin Ebadi, premio Nobel da Paz de que não deveria flertar com governos criminosos, quando se aproximou de Mahmoud Ahmadinejad, mas Lula não deu atenção e esta selando a amizade com visitas oficiais. Ahmadinejad se manteve no poder através de uma eleição suspeita, esta aprofundando a crise no oriente médio, com ameaças constantes de dar fim ao estado israelense e ameaça dotar o Irã de mísseis de longo alcance e armas nucleares.

Lula vem apoiando e sendo apoiado por Chavez, a Venezuela enfrenta uma crise econômica sem precedentes e inaceitável por ser um país rico em petróleo, o presidente venezuelano vem sendo condenado de forma unânime por sua tirania e por ferir os Direitos Humanos, por controlar a imprensa e a opinião pública.

Agora a morte de Zapata Tamayo acabou arrastando o Lula aos holofotes internacionais, por ter se limitado a lamentar o episódio, quando poderia ter atuado na mediação por pedido feito pelos dissidentes presos.

A morte de Zapata, "o novo herói cubano", glorificado por ter sido condenado por querer a liberdade de pensar e exprimir livremente o pensamento, por ter sido torturado e morto em sua luta por Direitos Humanos.

Oswaldo Payá, considerado o mais importante dissidente cubano, ao saber da morte de Zapata fez uma afirmativa que deixa o prestígio de Lula profundamente abalado:

“...... Respeitamos e amamos o povo brasileiro, mas o governo Lula não teve uma palavra de solidariedade com os direitos humanos em Cuba, tem sido um verdadeiro cúmplice com a violação dos direitos humanos em Cuba.....”

A morte de Orlando Zapata está sendo amplamente divulgada pela imprensa mundial que mostra seu repúdio ao regime que o levou à morte.

O jornal El País em editorial diz:

“A morte de Zapata é uma acusação adicional e motivo de condenação enérgica contra a mais longa ditadura da América Latina. É um desafio para a comunidade internacional e principalmente para Lula, que tem nas mãos o papel de porta-voz da condenação à repressão política, tanto por seu lugar de potência emergente como pela coincidência de sua visita à ilha”.

El Mundo:

A jornalista e escritora cubana Gina Montaner classificou o abraço de Lula ao líder Fidel Castro como “o abraço da morte”.

Miami Herald

Zapata “não precisava morrer, mas sucumbiu diante do consentimento silencioso de líderes democráticos”.

Como brasileiro não quero acreditar que os abraços e risadas fotografados fossem uma comemoração, mas estou chocado, estou envergonhado diante das justificativas apresentadas pelo e pelo silêncio que se segue.

Os brasileiros indicarão o nome do Lula ao Prêmio Nobel do Cinismo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anônimos não serão publicados