terça-feira, 15 de dezembro de 2009

A turma do mal esta pelo congresso

O sistema político atual permitiu que acusados de corrupção infestassem o Congresso

Ele permite que participantes de crimes se elejam e reelejam, assim como não impõe dificuldade para que figuras folclóricas, como o costureiro Clodovil, tomem assento no Congresso. Entre os eleitos, há sete mensaleiros, cinco sanguessugas e envolvidos em escândalos diversos, como o ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci, acusado de corrupção e de quebrar o sigilo bancário do caseiro que o denunciou. Eles voltam ao Congresso porque a legislação é indulgente com os ilícitos cometidos por políticos, conferindo-lhes foro privilegiado e saídas para escapar à punição. Para não falar do espírito corporativo dos parlamentares. Na última legislatura, a Câmara absolveu onze deputados flagrados no mensalão. Os analistas recomendam que se endureça a legislação eleitoral, para que os envolvidos em crimes sejam proibidos de se candidatar. Defendem, ainda, a adoção do voto distrital, em que as listas de postulantes são circunscritas a pequenas regiões, o que diminui a chance de candidatura de figuras suspeitas e bizarras e estreita o vínculo do eleitor com o político eleito. Seja qual for a fórmula, é preciso encontrar alguma para impedir que senhores como os destas páginas integrem o Congresso.


Lindomar Cruz


JOSÉ GENOÍNO

Deputado (PT-SP)

Acusações – Ser um dos chefes do mensalão e avalizar os empréstimos fajutos do lobista Marcos Valério para o PT.



Agência Estado


VALDEMAR COSTA NETO

Deputado (PL-SP)

Acusações – Chefiar o mensalão no PL, desviar dinheiro da prefeitura de Mogi das Cruzes e tentar comprar votos durante a última eleição.



Celso Junior/AE


JOÃO PAULO CUNHA

Deputado (PT-SP)

Acusações – Integrar a quadrilha dos mensaleiros e receber 50 000 reais do valerioduto.



Dida Sampaio/AE


JOSÉ MENTOR

Deputado (PT-SP)

Acusações – Participar do mensalão e receber 300 000 reais de um doleiro em 2004, em troca da exclusão do nome do meliante do relatório da CPI do Banestado.



Evaristo Sa/AFP


ANTONIO PALOCCI

Deputado (PT-SP)

Acusações – Desviar recursos públicos destinados à coleta de lixo de Ribeirão Preto no período em que foi prefeito. Ordenar a quebra ilegal do sigilo bancário do caseiro Francenildo Costa.



J.F.Diorio/AE


PAULO MALUF

Deputado (PP-SP)

Acusações – Desviar recursos de obras públicas durante sua gestão como prefeito de São Paulo (1993-1996) e enviar ilegalmente o dinheiro roubado para contas no exterior.



Bruno Stuckert/Obritonews


JADER BARBALHO

Deputado (PMDB-PA)

Acusações – Desviar dinheiro do Banco do Estado do Pará, da Sudam e da reforma agrária.




Valter Campanato/ABR


FERNANDO COLLOR

Senador (PRTB-AL)

Acusações – Ser o principal beneficiário do esquema de corrupção montado pelo empresário PC Farias, o que o levou a deixar a Presidência da República.



Lindomar Cruz/ABR


PEDRO HENRY

Deputado (PP-MT)

Acusações – Receber e distribuir mensalão no PP e participar da máfia dos sanguessugas.


4 comentários:

  1. Meu amigo, infelizmente todos esses aí devem se reeleger. Eles já tem seus curraizinhos eletorais formados.

    Veja o caso dos petistas. Você acha que a cambada vai deixar de votar neles? Se Satanás fosse deputado ou senador pelo PT, seu mandato seria vitalício.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. Caro Lord, concordo plenamente consigo no tocante a reeleicao de qualquer deputado ou de Presidente da Republica. Quando suspeito de crimes entao jamais deve nem se candidatar mas discordo quanto ao seu comentario inicial a respeito de Clodovil Hernandes "assim como não impõe dificuldade para que figuras folclóricas, como o costureiro Clodovil, tomem assento no Congresso" Primeiro Clodovil era uma pessoa digna, seria e honesta, segundo ele nao era um "costureiro" comum, era um dos maiores estilistas do mundo, de renome internacional e o pouco tempo que esteve no Congresso mostrou como ele pretendia tratar a coisa publica! Pena que a doenca o tenha tirado do nosso convivio! Para muitos de nos brasileiros uma perda muito grande!

    ResponderExcluir
  3. O Clodovil era digno, serio e honesto, era um dos maiores estilistas do mundo, mas não era um político.Meu comentário se deve ao fato de que defendo a idéia de que "político" deve ser um "profissional", explicando, eu não confiaria uma cirurgia cardíaca a um engenheiro eletricista, são profissões diferentes. Por isso não confio em uma vereança de pagodeiro, como acontece no município de São Paulo. Em alguns paises como a Holanda o político é um profissional, não tem vinculo nem exerce qualquer outra atividade que não seja a política. No meu post não me fiz entender pelo que peço desculpas, ate porque respeito demais a inteligência do Clodovil, era uma pessoa realmente admirável.

    ResponderExcluir
  4. AMIGO LORD.
    TIVE O PRAZER DE TRANSCREVER SUA MATÁRIA NO MEU BLOG. CARA, ESTOU COM MUIIIIITA DIFICULDADE DE ACESSAR O SEU BLOG E O DO LAGUARDIA. NÃO SEI O QUE ESTÁ HAVENDO. AGORA ESTOU ACESSANDO DE UMA LAN HAUSE. COISA ESTRANHA, DO MEU COMPUTADOR NÃO CONSIGO MAS DA LAN HAUSE VAI TUDO BEM.
    ABS DO BETO.
    EM TEMPO.
    ENQUANTO NÃO DESCUBRO O DEFEITO , A MATÉRIA QUE VC ACHAR INTERESSANTE DIVULGAR, ME MANDE POR E-MAIL.

    ResponderExcluir

Anônimos não serão publicados