quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Gabrielli diz à CPI que ´quadrilha´ atuava na Petrobras

Valor Econômico - 11/11/2009 - Cristiane Agostine
Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da
Petrobras no Senado terminou ontem sem a oposição. Senadores do PSDB e do DEM desligaram-se formalmente do grupo e apresentaram 18 representações com denúncias contra a estatal ao Ministério Público Federal. O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, prestou o último depoimento previsto pela comissão e o relator da CPI, Romero Jucá (PMDB-RR), apresentará o relatório com a conclusão das investigações na próxima semana.
Sem a presença da oposição, Gabrielli disse que a Petrobras identificou uma "quadrilha" atuando na estatal em projeto de reforma das plataformas de exploração de águas profundas. "Tomamos providências para que a quadrilha não pudesse continuar. Os responsáveis foram punidos", afirmou ontem. A irregularidade foi investigada pela Polícia Federal na "Operação Águas Profundas". O presidente da estatal negou as irregularidades citadas no requerimento de criação da CPI, como o superfaturamento na construção da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. Gabrielli evitou detalhar as denúncias e disse que a Petrobras realizou 2.486 auditorias internas em dez anos. No mesmo período, a Controladoria Geral da União fez 85 auditorias na empresa e o Tribunal de Contas da União, 413.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anônimos não serão publicados