domingo, 25 de outubro de 2009

MST busca aliados para barrar CPI

25 de Outubro de 2009 - Veja
O Movimento dos Sem-Terra (MST) já definiu
sua estratégia para enfrentar a CPI criada na semana passada para investigar possíveis irregularidades no repasse de verbas públicas para a organização: vai tentar levar o debate para fora do Congresso. Nos últimos dias, líderes dos sem-terra já estiveram reunidos com representantes de centrais sindicais, diretórios estudantis, movimentos sociais e partidos políticos para articular manifestações em centros urbanos a favor do MST e da reforma agrária e contra a CPI.

Por que o MST recebe recursos governamentais se as ações que a entidade realiza nada tem a ver com distribuição de terras?
O governo não pode destinar o dinheiro do contribuinte para beneficiar essa organização criminosa e ilegal.
A imprensa já noticiou que o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) tem retirado lotes de assentados envolvidos com arredamento ilegal ou venda dos lotes através de contratos de gaveta, segundo levantamento da CNA esta prática envolve 46% dos assentamentos. Com o dinheiro resultante os assentados vão para as cidades ou voltam para ajudar na organização do movimento.

Resultado de pesquisa feita em 9 assentamentos:
- 72% dos assentamentos do país não produzem o suficiente para gerar renda.
- 37% dos assentados brasileiros vivem mensalmente com no máximo um salário mínimo.
- 48% dos assentados não produzem o suficiente para sobreviver
- 46% compraram suas terras ilegalmente de terceiros,
- 75% não têm acesso aos programas de crédito do governo.
Fonte CNA/IBOPE

Um comentário:

  1. Se realmente noa houvesse o que esconder, porque tanta movimentação para barrar CPI?? A coisa ta na cara, so idiotizados não conseguem ver.

    Aliás, so idiotizados elegem marginais.

    ResponderExcluir

Anônimos não serão publicados