sexta-feira, 31 de julho de 2009

Sentindo o cheiro de Pizza

30/07/2009 - 19h36 Por Fernando Exman - BRASÍLIA (Reuters) - UOL
PMDB e PSDB tentam evitar que crise no Senado afete alianças
Preocupados com o potencial estrago da crise no Senado nas relações entre os dois partidos em um ano pré-eleitoral, lideranças do PMDB e do PSDB deram início a um movimento para evitar que as hostilidades na Casa contaminem alianças nos Estados e conversas em âmbito nacional para 2010.
A crise tomou um caráter partidário na terça-feira, quando o PSDB protocolou no Conselho de Ética do Senado três representações por quebra de decoro parlamentar contra o presidente da Casa, o peemedebista José Sarney (AP).

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Pizzaiolos estão preparando

30/07/2009 - 17h43 GABRIELA GUERREIRO da Folha Online, em Brasília
Tropa de choque de Sarney no Conselho de Ética é a mesma que defendeu Renan
Os integrantes do Conselho de Ética do Senado escalados para fazer a defesa do presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), são os mesmos personagens que integraram a chamada "tropa de choque" do ex-senador Renan Calheiros (PMDB-AL) no colegiado em 2007. Os senadores Wellington Salgado (PMDB-RJ), Almeida Lima (PMDB-SE) e Gilvam Borges (PMDB-AP), que ganharam destaque como fiéis defensores de Renan, continuam a integrar o conselho.

Sarney diz que cedeu ''fantasma'' para o Conselho Editorial

Quinta-Feira, 30 de Julho de 2009 | Rodrigo Rangel e Leandro Colon
Senador afirma que Gabriela Mendes, mesmo fazendo estágio na Caixa, dá expediente de 7h às 13h no Senado
Em nota divulgada ontem, a assessoria do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), reconheceu que a estudante Gabriela Aragão Guimarães Mendes, apesar de formalmente lotada no gabinete do próprio Sarney, não dá expediente lá. Na tentativa de negar reportagem em que o Estado revelou que Gabriela é funcionária fantasma, a nota diz que a estudante, logo depois de ser nomeada para o gabinete de Sarney, foi "cedida" para o Conselho Editorial do Senado.
Incluída desde janeiro de 2007 na folha de pagamento do Senado, Gabriela é filha de um dos ajudantes de ordem de Sarney, Aluísio Mendes Filho, homem da extrema confiança do senador. A nota da assessoria de Sarney tem outras lacunas. Nos boletins oficiais do Senado e na ficha funcional de Gabriela, à qual o Estado teve acesso, não há menção a nenhuma transferência ou cessão de Gabriela para o Conselho Editorial.

70% do Conselho de Ética tem ficha com problemas

Quinta-Feira, 30 de Julho de 2009 | Leandro Colon - Estadão Hoje
Ao menos 21 membros são alvo de inquérito, réus em ação ou têm ligação com nepotismo e atos secretos
A esperada benevolência do Conselho de Ética com o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), pode ser explicada, entre outras coisas, pela biografia de seus integrantes. Pelo menos 70% dos membros do conselho são alvos de inquéritos autorizados pelo Supremo Tribunal Federal (STF), réus em ações penais e/ou envolvimento com nepotismo e atos secretos nos últimos anos. Caberá a esses senadores decidir na próxima terça-feira o destino dos pedidos de abertura de processo de cassação de Sarney.

Virgílio terá de devolver mais de R$ 200 mil

Quinta-Feira, 30 de Julho de 2009 | Leandro Colon - Estadão Hoje
Valor se refere ao que Senado pagou a assessor do tucano durante um ano e meio de estudo na Espanha
Integrante do Conselho de Ética do Senado, o líder do PSDB, Arthur Virgílio (AM), terá de devolver R$ 210.696,58 aos cofres públicos. Na segunda-feira, ele depositou a primeira parcela, no valor de R$ 60.696,58. O dinheiro refere-se ao que o Senado pagou em salários para um assessor do líder tucano durante um ano e meio de estudo de teatro na Espanha.

Verba da Eletrobrás para ONG de Fernando Sarney vai parar em empresas da família

30/07/2009 - 08h56 - Do UOL Notícias emm São Paulo
Mais uma denúncia contra o filho do senador José Sarney (PMDB-AP), Fernando Sarney, foi revelada nesta quinta-feira (30). De acordo com reportagem do jornal "O Globo", a ONG Instituto Mirante, presidida por Fernando, recebeu R$ 220 mil da Eletrobrás para financiar projetos culturais no Maranhão, com base na Lei Rouanet. Entretanto, R$ 116 mil foram parar em contas de empresas ligadas à família Sarney, segundo investigações da Polícia Federal.

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Bilhetes aéreos da Câmara eram vendidos com desconto de até 35%

29/07/2009 - 13h25 - MÁRCIO FALCÃO - da Folha Online, em Brasília
Os depoimentos de servidores da Câmara e empresários do ramo de turismo de Brasília à comissão de sindicância que investigou a máfia das passagens revelaram que os bilhetes aéreos das cotas dos deputados eram vendidos para agências de turismo com desconto de até 35%. A investigação indica ainda que os parlamentares chegaram a fazer ligações oferecendo as sobras das cotas de passagens.

Carta enviada ao Senador Pedro Simon

NÃO REELEJA NINGUÉM! - Otacílio M. Guimarães
Lastimável realidade...
Senador Pedro Simon,
Estou me dirigindo ao senhor - com cópia para todos os seus comparsas - porque a idéia geral que o senhor tenta transmitir para o distinto idiota povo brasileiro é a de que o senhor é um político sério, honesto, patriota. Por isto, e só por isto, estou me dirigindo ao senhor diretamente.
Mas poderia me dirigir também aos Senadores Arthur Virgílio, Heráclito Fortes, Kátia Alves e alguns outros que tentam vender para o idiota eleitor brasileiro uma ficha limpa acima de qualquer suspeita.
A carreta carregada com toneladas de denúncias que o PT acaba de despachar sub-repticiamente para o distinto imbecil público brasileiro, por ordens do senhor Lula da Silva, estava carregada há décadas e transitando sem nota fiscal e na maior tranquilidade pela auto-estrada da imoralidade política brasileira. Sua Excrescência,senador José Sarney, vem fazendo desse parlamento maior, uma banca de negociatas com o dinheiro público desde que aí chegou, assim como fez do palácio do Planalto um balcão de negócios escusos e imorais durante o tempo em que foi presidente da república desta republiqueta de bananas.
Apesar de tudo, nenhum dos senhores que tentam iludir o distinto idiota público brasileiro se colocou contra este lamentável estado de putrefação em que sempre esteve mergulhado este prostíbulo chamado pomposamente de Senado da República. Sempre que uma crise - e são constantes as crises entre os senhores - surge, o senhor e alguns outros prestidigitadores vêm à público com cara de santa puta fingindo se colocar numa posição contrária ao estado permanente de imoralidades em que esse maldito parlamento, que custa tão caro à nação, sempre esteve mergulhado.
Ou será que os senhores senadores, que se auto denominam acima de qualquer suspeita, não sabiam que têm um plano de saúde imoral como este descrito abaixo, ou quanto ganha o seu motorista, a exemplo do senador José Sarney que não sabia que em sua conta era depositado o auxílio moradia, e de sua filhinha sem vergonha que utilizava um deles como seu mordomo com salário de R$ 12.000,00?
Será que nenhum dos senhores que se dizem a fina flor da honestidade desse senado vagabundo sabia de toda esta coleção de falcatruas, agora vinda à público graças a um gesto de vingança do PT, por ordem de quem já disse acima?
Se não sabiam, são todos idiotas. Se sabiam são todos cúmplices dos mesmos crimes. Eu prefiro acreditar na segunda hipótese.
Agora vejam com que cara os senhores vão ficar quando os mais bem informados sabem que toda esta campanha para desmoralizar o senado da república de bananas não é obra da mídia, como quer fazer crer o senador Sarney, e sim, da víbora que os senhores não tiveram condições morais de eliminar do cenário político brasileiro, quando do episódio do escândalo do mensalão. A víbora chama-se PT-Partido dos Trabalhadores, cujo chefe, o senhor Lula da Silva, sabe até a composição química das fezes que os senhores cagam. Vejam só: um primata semi-analfabeto encurralou todos vocês como se fossem criancinhas assustadas.
Eu pergunto só por curiosidade: por que os senhores não levaram a sério a CPI dos cartões corporativos,já já que o festival de falcatruas ali existente é muito pior do que o que os senhores promovem no senado? Por que não conseguem instalar a CPI da Petrobrás, quando se sabe que esta empresa está colocada a serviço e a benefício da quadrilha que dela se apossou com fins criminosos? Será porque firmaram um pacto de silêncio, uma omertá à la máfia siciliana?
Se é isto, acho que está na hora de lavar a roupa suja em público, já que o PT, por ordem do chefe, violou a omertá. Ou os senhores não sabem disso?
É muito triste p mim, um cidadão brasileiro de 66 anos de idade, ter que se dirigir aos senadores da república da sua pátria em termos que, aos arrogantes e prepotentes, podem ser considerados ofensivos. Mas não são. Apenas utilizei os termos apropriados para me dirigir, como sempre o fiz, a homens sem caráter e sem noção de decência e do cumprimento de uma missão.
Os senhores senadores e senhoras senadoras deveriam ter vergonha de si próprios.

Guerra de pizza

29/07/2009 - Eliane Cantanhêde é colunista da Folha, E-mail: elianec@uol.com.br
Um dos grandes problemas na crise política do Senado é a falta de um substituto para José Sarney na presidência da Casa. Procura-se daqui, procura-se dali e não se acha um senador que tenha estatura política, apoio do governo e aval da oposição e que, simultaneamente, passe pelo crivo ético. Leia-se: pelas reportagens investigativas.
Pois começa a ser trabalhado um nome para a presidência: o do senador Francisco Dornelles, do PP do Rio. Sobrinho e braço-direito de Tancredo Neves, ex-ministro do Trabalho de FHC, ex-ministro da Fazenda do governo Sarney, ex-secretário da Receita Federal ainda nos governos militares e cheio de títulos universitários no currículo.
Técnico, Dornelles seria o homem certo, na hora certa, para dar um choque administrativo no Senado, botando a Casa para funcionar com menos apadrinhados e menos diretores do nada para o nada. Político, ele tem bom trânsito no governo, conversa bem com PSDB, DEM, PT e PMDB. Principalmente, não incomoda ninguém. E, até onde se saiba, ele nunca se envolveu com denúncia cabeluda.
Sarney, hoje, só precisa dizer uma palavra para sair do cargo. Aliás, para bom entendedor, qualquer meia palavra já basta. Até porque o velho senador, ex-presidente da República, três vezes presidente do Senado, ex-governador do Maranhão e membro da Academia Brasileira de Letras, já não é mais, na prática, presidente de coisa nenhuma. Suas passagens pelo Senado estão solitárias, constrangedoras.
Aos 79 anos, ele se diz cansado, alquebrado pelas notícias, todo santo dia, envolvendo filhos, noras, netos, namorados de netas, assessores e amigos. Onde a Polícia Federal e a Receita põem o dedo, lá está uma manchete para os jornais. Enquanto Sarney estiver no cargo, a onda não vai parar. E ele sabe disso.
Até o pretexto para se licenciar ele já tem: com Dona Marly internada em São Paulo, depois da cirurgia para corrigir várias fraturas no ombro produzidas por uma queda em São Luiz, ele bem pode dizer que sua prioridade é cuidar da companheira de meio século de vida. Só assim ele terá sossego.
Inacreditavelmente mais realista do que o próprio rei, Renan Calheiros falou duas vezes ao telefone com o presidente do PSDB, Sérgio Guerra, deixando no ar uma ameaça, ou aviso: se os tucanos forem para cima de Sarney no Conselho de Ética, o PMDB vai reagir contra Arthur Virgílio. Com o telefone desligado, incluiu mais na ameaça: Tasso Jereissatti.
Aí, não é mais pizza. É guerra de pizza na cara. Sarney tem duas opções: ou vai assistir de camarote em casa, ao lado de Dona Marly, ou vai presidir o espetáculo. E a guerra.

Com certeza Eliane, vai faltar um nome ético para a presidência do Senado

PSDB entra com três representações contra Sarney no conselho

Quarta-Feira, 29 de Julho de 2009 | Estadão de Hoje Carol Pires, da Agência Estado
Partido quer apurar três denúncias: atos secretos, desvio de verba da Petrobras e favorecimento do neto

Sarney dá sinais ao Planalto de que pode deixar o cargo

Quarta-Feira, 29 de Julho de 2009 | Estadão de Hoje
Lula teme que ele renuncie, deixando Senado sob comando da oposição

terça-feira, 28 de julho de 2009

Presidente do Conselho de Ética emprega ''fantasma''

Terça-Feira, 28 de Julho de 2009 | Estadão de Hoje - Leon Colon
Advogado mora no Rio de Janeiro e não cumpre expediente no órgão
Um assessor do recém-eleito presidente do Conselho de Ética do Senado, Paulo Duque (PMDB-RJ), é funcionário fantasma do próprio órgão há mais de oito meses. O advogado Luiz Eustáquio Diniz Martins foi transferido do gabinete de Duque para o Conselho de Ética em 19 de novembro do ano passado com um salário de R$ 5 mil. Martins, no entanto, mora no Rio de Janeiro e não cumpre expediente no órgão.

Aliado deu emprego no STJ para neta de Sarney

28/07/2009 - 09h19 MARTA SALOMON da Folha de S.Paulo, em Brasília
Antes de pedir emprego para o namorado no Senado, a neta de Sarney (PMDB-AP) Maria Beatriz ocupou por dois anos cargo de confiança no gabinete da presidência do STJ (Superior Tribunal de Justiça). Ainda cursando direito, recebia mais de R$ 6 mil por mês.
Na época, o STJ não exigia nível superior dos ocupantes de cargos por indicação política, informou ontem a assessoria do tribunal.

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Gravações ligam Sarney a empreiteiro indiciado pela PF

27/07/2009 - 02h50 HUDSON CORRÊA enviado especial da Folha de S.Paulo a São Luís
Em diálogos até agora inéditos, captados pela Polícia Federal com autorização judicial, o empreiteiro Zuleido Veras diz que não faltaria dinheiro para um empreendimento em Macapá porque "é obra de Sarney". Em uma outra conversa, em Brasília, Zuleido diz que já estava chegando à casa de Sarney.
Dono da construtora Gautama, Zuleido foi o principal alvo da Operação Navalha, deflagrada em abril de 2007 para investigar fraudes em licitações de obras públicas. Ele foi preso ao lado de executivos e lobistas da empreiteira, indiciado por formação de quadrilha, corrupção e tráfico de influência e denunciado pelo Ministério Público.
Por meio de sua assessoria, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), negou o conteúdo das gravações e disse que nunca recebeu Zuleido em sua casa.

sábado, 25 de julho de 2009

PT contraria Lula e defende licença de Sarney no comando do Senado

Sábado, 25 de Julho de 2009 | Clarissa Oliveira e Rosa Costa - Estadão Hoje
Mercadante considera grave nova denúncia e, em nome da bancada, pede investigação pelo Conselho de Ética
Na contramão da orientação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a bancada do PT no Senado voltou a pedir ontem o afastamento do presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP). Diante dos diálogos divulgados pelo Estado, em que Sarney discute com o filho Fernando Sarney a contratação do namorado de sua neta na Casa, o líder Aloizio Mercadante (SP) emitiu nota na qual considera "grave" a revelação. Em nome da bancada, ele afirmou que o Conselho de Ética do Senado terá de investigar "com rigor a possibilidade de participação direta" do peemedebista na promulgação do ato secreto que serviu para concretizar a nomeação.
"É grave essa nova denúncia porque há indícios concretos da associação do presidente do Senado, José Sarney, em ato secreto de nomeação do namorado de sua neta", afirma o texto. "A bancada reafirma a sua posição de que o melhor caminho seria o pedido de licença da presidência da Casa por parte do senador José Sarney."

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Senadores criticam declarações do presidente

Sexta-Feira, 24 de Julho de 2009 | ESTADÃO Online Rosa Costa, BRASÍLIA
Os senadores Pedro Simon (PMDB-RS) e Cristovam Buarque (PDT-DF) atacaram ontem a insistência do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em desmerecer as investigações de um órgão do Estado como a Polícia Federal (PF) e em defender o senador José Sarney (PMDB-AP). Simon disse que Lula está sendo "infeliz" nos comentários e pediu que o presidente "feche a boca e pare de falar".
Cristovam ficou particularmente incomodado com a recomendação de Lula para que as investigações do Ministério Público levem em conta a "biografia dos investigados". Segundo ele, "a biografia é para os livros, a Justiça é para ações deste momento, uma coisa é a história, outra é a política".

Alguem deve estar preocupado com a própria biografia

Mônica Bergamo: Sarney cria "gabinete de crise" para tentar reverter desgaste

24/07/2009 - 09h22 Folha Online
Entrincheirado no Maranhão, José Sarney (PMDB-AP) está criando um "gabinete de crise", formado por publicitários, agências de comunicação, jornalistas, advogados e empresários, com quem mantém relações muito próximas, para estudar "medidas bombásticas" na tentativa de reverter o desgaste cada vez maior de sua imagem, informa a coluna de Mônica Bergamo, publicada nesta sexta-feira pela Folha.

Fernando Sarney omite centro de futebol em Imposto de Renda

24/07/2009 - 09h00 da Folha Online
Em diálogo captado pela Polícia Federal, o empresário Fernando Sarney, vice-presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), diz manter um negócio de venda de jogadores de futebol no Maranhão. No entanto, o empreendimento não está declarado em seu Imposto de Renda do ano passado, informa reportagem de Leonardo Souza, publicada nesta sexta-feira pela Folha.

Para o Senado é bom ter um funcionário como eu, diz namorado da neta de Sarney

24/07/2009 - 15h00 CHRISTIAN BAINES colaboração para a Folha Online, em Brasília
Apontado como o principal motivo do agravamento da crise em torno do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), Henrique Dias Bernardes, 27, namorado da neta do peemedebista, sustenta que não vê ilegalidade na interferência de Sarney em sua contratação na Casa Legislativa.
Sem querer comentar a ligação com Maria Beatriz Sarney, neta do presidente do Senado, Bernardes disse que não conquistou o cargo só pela indicação do peemedebista, mas também pelo currículo.
Primeira linha do currículo: "Namorado da neta do Sarney"

''Guardian'' destaca ''revolução do bigode''

Sexta-Feira, 24 de Julho de 2009 | Andréia Sadi, estadao.com.br
Protesto de publicitários em blog na internet chega ao diário britânico. O jornal britânico The Guardian destacou em seu site ontem a "revolução de bigode", protesto contra o "mais novo escândalo político brasileiro". O artigo cita um blog criado por publicitários - "Greve de Bigode" -, que convida os internautas a tirar fotos com a "ferramenta de protesto", natural ou falsa, e enviar ao endereço, "até Sarney cair".

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Senadores farão apelo para que Sarney renuncie e querem reunião de emergência do Conselho de Ética

23/07/2009 - 12h29 Do UOL Notícias em Brasília Claudia Andrade
Após reunião na manhã desta quinta-feira (23), os senadores Cristovam Buarque (PDT-DF) e Pedro Simon (PMDB-RS) disseram que vão iniciar uma campanha pela renúncia de José Sarney (PMDB-AP) à presidência do Senado. Eles vão enviar um ofício ao presidente do Conselho de Ética, senador Paulo Duque (PMDB-RJ), pedindo a convocação de uma reunião antes do fim do recesso parlamentar, que vai até o próximo dia 3.
"Faremos um apelo ao Sarney, para que renuncie por conta própria. Estou rezando para que Deus ajude ele. E que os amigos vão lá em São Luís, vão lá na ilha e o aconselhem a renunciar. Se ele não renunciar, vai ser uma guerra", disse Simon. Cristovam defendeu que todos os senadores que sejam a favor da renúncia "se manifestem".
Campanha? Apelo? Pobres covardes!

Lula pede cuidado com ''biografia dos investigados"

Quinta-Feira, 23 de Julho de 2009 - Estadao Hoje - Nacional
Na solenidade de posse de novo procurador, ele pede que Ministério Público aja com "máxima seriedade".
Pergunto: BIOGRAFIA OU FOLHA CORRIDA?

Filho de Sarney seria operador dos negócios políticos da família

23 de julho de 2009 • 05h01 • atualizado às 06h43 Terra/Estado de S. Paulo
O empresário Fernando Sarney, filho do presidente do Senado José Sarney (PMDB-AP), seria um operador atuante nos negócios políticos da família, segundo revela a edição desta quinta-feira do jornal Estado de S. Paulo.
Segundo o jornal, um dos alvos preferidos de Fernando seria o setor elétrico. Alguns dos seus interlocutores mais freqüentes seriam o diretor da Eletrobrás Astrogildo Quental e o assessor do ministro Edison Lobão, de Minas e Energia, Antonio Carlos Lima, o Pipoca.
Nas gravações, interceptadas pela Polícia Federal como parte da Operação Boi Barrica, Fernando aparece falando de transações financeiras com o irmão deputado Zequinha Sarney (PV-MA). Segundo o jornal, Fernando alerta Zequinha que o valor de um "negócio quente" seria de 900 mil reais. Com o irmão, Fernando também falava de pesquisas eleitorais e a cobertura dos veículos de mídia da família.

Funcionário do Senado advogou para Sarney no Amapá

23/07/2009 - 03h56da Folha Online
Durante dois meses da campanha eleitoral que o reelegeu presidente do Senado, em 2006, José Sarney (PMDB-AP), foi defendido por um advogado do quadro efetivo do Senado, informa reportagem de Rubens Valente, publicada nesta quinta-feira pela Folha

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Gravação liga Sarney a atos secretos

Quarta-Feira, 22 de Julho de 2009 | Estadao Nacional - Rodrigo Rangel, BRASÍLIA
Em conversa com o filho, ele se compromete a falar com Agaciel e sacramenta nomeação de namorado da neta
Uma sequencia de diálogos gravados pela Polícia Federal com autorização judicial, durante a Operação Boi Barrica, revela a prática de nepotismo explícito pela família Sarney no Senado e amarra o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), ao ex-diretor-geral Agaciel Maia na prestação de favores concedidos por meio de atos secretos. Em uma das conversas, o empresário Fernando Sarney, filho do parlamentar, diz à filha, Maria Beatriz Sarney, que mandou Agaciel reservar uma vaga para o namorado dela, Henrique Dias Bernardes

terça-feira, 21 de julho de 2009

Senado gasta cerca de R$ 1,8 mi por ano com gratificação a 75 chefes da gráfica

21/07/2009 - 15h17 MÁRCIO FALCÃO da Folha Online, em Brasília
A gráfica do Senado, considerada o berço político do ex-diretor-geral Agaciel Maia, é o setor com o maior número de chefes da Casa. Além de cinco diretores, são 75 cargos de chefia distribuídos em quatro turnos de atividades --uma média de 18 chefes por período. Além de ser um número expressivo, o problema é que parte desses servidores que ocupam cargos de chefia recebe uma gratificação de R$ 1.900 para comandar serviços que já foram extintos do setor, como a tipografia.
A gráfica do Senado, considerada o berço político do ex-diretor-geral Agaciel Maia, é o setor com o maior número de chefes
O Senado gasta cerca de R$ 1,8 milhão por ano para manter o bônus dos 75 chefes da gráfica. Eles são responsáveis por administrar 31 aéreas. Há casos de até quatro chefes para controlar o mesmo local. Ao todo, o setor abriga 1.100 servidores --sendo que 420 foram cedidos para outros órgãos do Senado. Dos 680 servidores que restam, 430 são terceirizados que atuam na produção e nas áreas de limpeza e segurança.

Senador Gilvam Borges paga fábrica com verba indenizatória

21/07/2009 - 09h18 da Folha Online
O senador Gilvam Borges (PMDB-AP), afilhado político do senador José Sarney (PMDB-AP) e com assento no Conselho de Ética do Senado, destina toda a sua cota da verba indenizatória de R$ 15 mil mensais para alugar uma fábrica de toldos na periferia de Macapá, informa reportagem de Rubens Valente e Silvio Navarro, publicada nesta terça-feira pela Folha

segunda-feira, 20 de julho de 2009

PF abre inquérito sobre obra no Amapá apoiada por Sarney

20/07/2009 - 08h48 da Folha Online
A Polícia Federal abriu inquérito no dia 17 de junho para investigar a ampliação do aeroporto internacional de Macapá (AP), principal obra pela qual o presidente do Senado, José Sarney (PMDB), trabalhou para viabilizar na capital do Estado que o elegeu, informa reportagem de Rubens Valente, publicada nesta segunda-feira pela Folha.

domingo, 19 de julho de 2009

Senado fez ''trem da alegria'' secreto

Domingo, 19 de Julho de 2009 | Estadão Hoje - Leandro Colon
Casa transformou 82 estagiários da gráfica em servidores efetivos
Um novo escândalo bate à porta do Senado. Depois dos atos secretos, surge agora o "trem da alegria" secreto. Uma decisão guardada até hoje sob sigilo transformou 82 estagiários da poderosa gráfica em servidores públicos federais em 1992, quatro anos depois da promulgação da Constituição, que proíbe, desde 1988, nomeações sem concurso público.

Empresas terceirizadas abrigam parentes de funcionários do Senado

19/07/2009 - 02h56 - da Folha Online
Como forma de driblar a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que proibiu o nepotismo nos três Poderes, ao menos 299 parentes de funcionários efetivos ou comissionados do Senado são empregados por empresas terceirizadas que têm contrato com a Casa,

Escândalos sem punição afetam ação do Congresso

19 de Julho de 2009 - Folha de São Paulo
Prestes a completar seis meses, a onda de escândalos no Congresso não resultou em punição para nenhum deputado ou senador -apenas diretores, servidores e empregadas domésticas foram responsabilizados. Só medidas administrativas pontuais foram tomadas, após 32 escândalos desde o início de fevereiro. Desse total, em nove casos não houve nenhuma consequência.

sábado, 18 de julho de 2009

ONG de filho de Sarney recebeu financiamento da Eletrobrás

18/07/2009 - 03h07 da Folha Online
O Instituto Mirante, criado pelo empresário Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), recebeu R$ 250 mil da Eletrobrás entre 2006 e 2007, informa reportagem de Hudson Corrêa e Leonardo Souza, publicada neste sábado pela Folha.
De acordo com a Polícia Federal, Fernando beneficiava empresas privadas em contratos com o governo no setor elétrico, politicamente comandado por seu pai. Ele nega a acusação.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Sarney desabafa e acusa imprensa de fazer "campanha" contra ele

17/07/2009 - 10h21 Do UOL Notícias em São Paulo
O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), discursou em tom de desabafo na manhã desta sexta-feira (17), em um plenário vazio, e citou palavras do filósofo romano Lucius Aneu Séneca para demonstrar seu sentimento em relação à crise instalada na Casa, que ameaça seu cargo. "Séneca dizia que a injustiça somente pode ser combatida com três ações: o silêncio, a paciência e o tempo", afirmou.

CBF doou R$ 100 mil à campanha de Roseana

17/07/2009 - 10h23 da Folha Online
Fernando Sarney é diretor da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), e a entidade doou R$ 100 mil para a campanha de Roseana Sarney (PMDB-MA), irmã do empresário, ao governo em 2006, informa o "Painel" da Folha, editado por Renata Lo Prete (a íntegra está disponível para assinantes do jornal e do UOL).
Segundo a coluna, o time dos beneficiados com doações da CBF, de mesmo valor, inclui Renan Calheiros (PMDB-AL) e Gilvam Borges (PMDB-AP), dois fiéis sarneyzistas, em 2002.

Atos beneficiaram membros de Conselho de Ética do Senado

17/07/2009 - 02h46 da Folha Online

Quatro dos 15 senadores do Conselho de Ética do Senado tiveram assessores nomeados ou exonerados por atos secretos. O órgão foi instalado para julgar o presidente do Casa, José Sarney (PMDB-AP), entre outras denúncias, pela edição dessas medidas não publicadas, informa reportagem da Folha (íntegra disponível para assinantes do UOL e do jornal).

A eleição dos integrantes do Conselho de Ética foi feita em plenário na terça-feira sem contestações. Anteontem, foi escolhido o presidente do colegiado, Paulo Duque (PMDB-RJ), que já disse considerar os atos secretos "uma bobagem inventada por alguém".

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Protesto "Fora Sarney" pede saída do presidente do Senado em Brasília

16/07/2009 - 14h58 Claudia Andrade Do UOL Notícias

Em BrasíliaUm grupo de estudantes fez um protesto nesta quinta-feira (16) dentro do Senado Federal, pedindo a saída de José Sarney (PMDB-AP). Com camisetas formando a frase "Fora Sarney", os manifestantes gritaram pedindo moralização e comeram pizza perto da sala da presidência.

Lula diz que senadores de oposição são 'bons pizzaiolos' e que CPI da Petrobras é para quem quer fazer carnaval

Publicada em 15/07/2009 às 23h54m - Luiza Damé e Adriana Vasconcelos - O Globo / Reuters

BRASÍLIA - Uma declaração do presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta quarta-feira ateou fogo no plenário do Senado. Lula disse que os senadores de oposição são "bons pizzaiolos", o que causou uma imediata reação dos parlamentares.

Duque diz não temer cobrança sobre isenção no caso Sarney porque opinião pública é volúvel

16/07/2009 - 13h42 MÁRCIO FALCÃO da Folha Online, em Brasília

Um dia após ser eleito para comandar o Conselho de Ética do Senado, o senador Paulo Duque (PMDB-AP), voltou a sinalizar pretende blindar o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Duque disse que não teme ser cobrado para que atue com isenção porque a opinião pública é volúvel.

Grampo mostra negociação de cargo no Senado em ato secreto

16/07/2009 - 11h13 - MÁRCIO FALCÃO da Folha Online, em Brasília

O vazamento de supostas gravações da Polícia Federal lança a suspeita de que o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), possa estar envolvido diretamente na edição dos atos secretos. Segundo reportagem do jornal "O Estado de S. Paulo", interceptações telefônicas realizadas durante a Operação Boi Barrica, com autorização judicial, identificaram telefonemas de Fernando Sarney para o ex-diretor-geral do Senado, Agaciel Maia.

PF indicia filho de Sarney por suspeita de formar quadrilha

16/07/2009 - 03h47 da Folha Online

O empresário Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), foi indiciado pela Polícia Federal sob a acusação, entre outros crimes, de falsificar documentos para favorecer empresas em contratos com estatais. A informação é de reportagem de Leonardo Souza e Hudson Corrêa publicada na Folha.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Conselho arquiva processo contra deputado dono de castelo

quarta-feira, 15 de julho de 2009, 13:31 | Agência Estado

Com isso, Edmar Moreira fica livre de qualquer punição por suposto uso indevido da verba indenizatória

Edmar Moreira, o dono do castelo BRASÍLIA - O Conselho de Ética da Câmara arquivou nesta quarta-feira, 15, por 9 votos a 3, o processo contra o deputado Edmar Moreira (Sem partido-MG), que ficou conhecido por ser dono de um castelo. O arquivamento foi proposto pelo terceiro relator do caso, deputado Sérgio Brito (PDT-BA). As informações são da Agência Câmara. O arquivamento foi votado após duas tentativas infrutíferas de punição ao deputado do castelo.

terça-feira, 14 de julho de 2009

Para preservar Sarney, Renan quer aliado no comando do Conselho de Ética

14/07/2009 - 10h26 - MÁRCIO FALCÃO - da Folha Online, em Brasília

Na tentativa de preservar o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), o líder do PMDB, Renan Calheiros (AL), começou a trabalhar nos bastidores para garantir que a presidência do Conselho de Ética seja entregue ao senador Paulo Duque (PMDB-RJ).

A ideia de Renan --que também é alvo de representação-- é colocar um aliado no comando do colegiado porque, pelo regimento do conselho, o presidente tem a prerrogativa de rejeitar sumariamente as denúncias e representações contra senadores

MPF abre processo para investigar uso de dinheiro público por fundação de Sarney

14/07/2009 - 10h56 - Marcos Chagas da Agência Brasil em Brasília

O Ministério Público Federal abriu processo para investigar as denúncias de uso irregular de recursos para incentivos culturais da Petrobras pela Fundação José Sarney, sediada no Maranhão.

Matérias publicadas pela imprensa mostram que a instituição teria repassado parte de R$ 1,3 milhão, recebido em 2005, a empresas fantasmas e de parentes do atual presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).

De acordo com a Procuradoria-Geral da República, as investigações serão conduzidas pelo procurador Thiago Carneiro, do MPF, no Maranhão.

segunda-feira, 13 de julho de 2009

domingo, 12 de julho de 2009

''Tropa de choque'' domina conselho para livrar Sarney

Sábado, 11 de Julho de 2009 | Eugênia Lopes – Estadão Hoje Nacional

Cúpula do PMDB e partidos da base escolhem a dedo grupo que decidirá pedido para investigar atos secretos

Para impedir qualquer investigação contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), a cúpula do PMDB e os partidos da base aliada indicaram parlamentares da chamada "tropa de choque" para integrar o Conselho de Ética da Casa. A estratégia é arquivar a representação do PSOL contra Sarney e o líder do PMDB, Renan Calheiros (AL), ex-presidente da Casa, para que sejam investigados os 663 atos secretos baixados nos últimos 14 anos, que beneficiaram correligionários e parentes dos dois senadores.

Lobão emprega namorado de neta de Sarney

12/07/2009 - 12h25 - da Folha de S.Paulo, em Brasília

O namorado da neta do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), é funcionário do Ministério de Minas e Energia. Estudante de direito, Luiz Gustavo Amorim namora Rafaela Sarney, filha adotiva da governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB).

De cada 10 funcionários dos gabinetes do Senado, 8 não são concursados

12/07/2009 - 03h10 - da Folha Online

Um levantamento feito pela Folha com base em dados do Senado na internet mostra que de cada dez funcionários dos gabinetes do Senado, oito são indicações políticas sem concurso. Elas incluem ex-prefeitos e ex-deputados, transformados em assessores depois de perder eleições. A matéria de Alan Gripp e Fábio Zanini está na edição deste domingo (íntegra disponível para assinantes da Folha e do UOL*).

sábado, 11 de julho de 2009

Documento de fundação derruba versão de Sarney

Sábado, 11 de Julho de 2009 | Rodrigo Rangel e Leandro Colon do Estadão

Estatuto indica que senador e sua família controlam entidade que desviou verba de patrocínio da Petrobrás

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), disse aos senadores em plenário, na quinta-feira, que não tem "nenhuma responsabilidade administrativa" na fundação que leva o seu nome, sediada em São Luís. O parlamentar omitiu informações dos colegas. O Estado obteve o estatuto da Fundação José Sarney. O documento contradiz o que ele afirmou em sessão do Senado, cujas falas são registradas nas notas taquigráficas.

Sarney teria conta secreta no exterior, diz revista

11/07/2009 - 10h07 - da Folha Online

Reportagem publicada na revista "Veja" desta semana informa que o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), teria uma conta secreta no exterior. De acordo com a reportagem, a constatação foi feita a partir de uma auditoria do Banco Central no falido Banco Santos, do empresário Edemar Cid Ferreira --amigo de Sarney. Os dois viajaram juntos para Veneza, na Itália, em junho de 2001.

Líder do PSDB denuncia diretor da Fundação José Sarney à PGR

10/07/09 - 12h13 - Atualizado em 10/07/09 - 12h35 – www.g1.com.br

Gurgel vai analisar os fatos para decidir se pede investigação.

Arthur Virgílio também acionou Sarney no Conselho de Ética da Casa.

Última suspeita contra Sarney: uma conta no exterior

Escrito por Josias de Souza às 04h40 - http://josiasdesouza.folha.blog.uol.com.br

Referência surge em material apreendido no Banco Santos

Presidente do Senado nega posse de dinheiro fora do país

Documento comprovaria responsabilidade de Sarney com fundação

11 de julho de 2009 • 06h15 • atualizado às 06h18 – www.terra.com.br

Apesar de negar responsabilidade administrativa sobre a fundação que leva o seu nome, o senador José Sarney (PMDB-AP) teria responsabilidades financeiras e poder de veto sobre as decisões do conselho curador da entidade. Conforme apuração do jornal Estado de S.Paulo, que obteve acesso ao estatuto da entidade, o senador deve presidir o conselho curador da entidade, orientar suas atividades e representá-la em juízo.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Senador pede que Procuradoria investigue Fundação José Sarney

10 de julho de 2009 • 11h59 • atualizado às 12h45 – www.terra.com.br

O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), apresentou à Procuradoria-Geral da República pedido para que o diretor da Fundação José Sarney, Raimundo Quintiliano, seja investigado por suspeita de desvio de recursos. O senador pede ainda a abertura de inquérito policial sobre o caso.

Segundo denúncia publicada nos jornais Folha de S.Paulo e O Estado de S. Paulo, recursos públicos repassados pela Petrobras à Fundação Sarney teriam sido desviados para firmas fantasmas e empresas da família do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).

Dep. Sérgio Moraes: “Estou me lixando para a opinião pública”

7 DE MAIO DE 2009 (http://memoriasfracas.com/2009/05/07/sergio-moraes-estou-me-lixando-para-a-opiniao-publica/)

“Estou me lixando para a opinião pública. Até porque parte da opinião pública não acredita no que vocês escrevem. Vocês batem, mas a gente se reelege“, disse Moraes a repórteres.

Parece mentira, mas essa frase é legítima. Foi dita pelo deputado Sérgio Moraes (PTB/RS) ontem, enquanto defendia um de seus pares, o deputador Edmar Moreira (Não tem partido/MG). Talvez você não se lembre, mas o “nobre” deputado Moreira é o dono daquele castelo de 25 milhões de reais, registrado em nome dos filhos.

Conselho de Ética rejeita suspensão para deputado Edmar Moreira

Plantão | Publicada em 09/07/2009 às 09h25 - O Globo

BRASÍLIA - O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar rejeitou nessa quarta-feira, por sete votos a três e três abstenções, o relatório do deputado Hugo Leal (PSC-RJ) que pedia a suspensão por quatro meses das prerrogativas parlamentares do deputado Edmar Moreira (sem partido-MG), acusado de uso indevido da verba indenizatória.

Lula fecha olhos para escândalos quando lhe convém, diz 'Economist'

10/07 - 07:22 - BBC Brasil

O revista britânica The Economist diz na edição que chegou às bancas nesta sexta-feira que os escândalos do Senado brasileiro são um lembrete das falhas cometidas por aliados do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da "disposição de Lula em fechar os olhos para escândalos quando lhe convém".

Revista britânica chama Senado de 'casa de horrores'

Qui, 09 Jul, 07h18 - Agencia Estado

A longa lista de escândalos do Senado brasileiro chegou às páginas da revista britânica "The Economist", uma das mais conceituadas do mundo. Com o sugestivo título de "Casa de Horrores", a publicação relembra o escândalo dos atos secretos, a residência de R$ 4 milhões omitida pelo presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), da Justiça Eleitoral, os negócios de crédito consignado de seu neto José Adriano Sarney, dentro do Senado, - todos revelados pelo jornal O Estado de S. Paulo -, além da farra das passagens aéreas e o castelo de R$ 5 milhões não declarado à Receita Federal pelo ex-diretor Agaciel Maia.

Com o irônico subtítulo "O que os parlamentares britânicos podem aprender com os senadores brasileiros" - por conta de recentes escândalos na Inglaterra em que deputados foram pegos usando dinheiro público para pagar contas particulares - a reportagem começa lembrando outros detalhes da vida no Senado com que os brasileiros já estão acostumados: 10 mil servidores para tomar conta de apenas 81 senadores, plano de saúde gratuito e vitalício para os parlamentares, auxílios-moradia generosos. "Um ex-servidor conta que seus colegas costumam dizer que o Senado era como uma mãe para eles. Outros o comparam a um clube", diz a revista.

A "The Economist" conta, ainda, que senadores de todos os espectros políticos estão envolvidos, citando o caso de Arthur Virgílio (PSDB-AM), que teve uma conta de seu hotel em Paris paga por Agaciel Maia. Sarney, na reportagem, é apontado como um "sobrevivente" e o prognóstico da revista é de que ele deverá manter a cadeira de presidente do Senado, lembrando a defesa do senador feita pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seu interesse em manter o PMDB como aliado.

"Em um período em que a economia apenas começa a ressurgir de uma recessão, a saga dos atos secretos lembra aos brasileiros que seus políticos nunca impõem austeridade a eles mesmos. Também por relembrar os defeitos de alguns aliados de Lula e sua disposição para fechar os olhos a escândalos quando isso lhe serve", finaliza a "The Economist"

www.yahoo.com.br

Sinopse de imprensa: Sarney nega elo com museu, mas usou cargo para ajudá-lo

10/07 - 07:02 , atualizada às 07:02 10/07 - Redação www.ig.com.br

Sarney teria usado cargo para ajudar fundação no MA

10 de julho de 2009 • 05h38 • atualizado às 05h38
www.terra.com.br

Dilma diz que "demonizar" Sarney é caminho para a "pizza"

09/07/2009 - 21h42 - Yala Sena - Agência Folha

A ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) disse ontem que a "demonização" do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), é uma tática para que os escândalos da Casa terminem em "pizza". Em Teresina (PI), a ministra disse que o governo é a favor de "apurar", e não de "demonizar".

ENTENDENDO O 9 DE JULHO

ENTENDENDO O 9 DE JULHO por Ivan César Belentani Capitão da Polícia Militar do Estado de São Paulo. O dia 9 de julho se tornou feriado n...